MT registra dois casos de sarampo após 19 anos de erradicação e um de febre amarela

Olhar Direto - Isabela Mercuri Após dezenove anos sem nenhum caso de sarampo registrado em Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES...

MT registra dois casos de sarampo após 19 anos de erradicação e um de febre amarela

Olhar Direto - Isabela Mercuri

Após dezenove anos sem nenhum caso de sarampo registrado em Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou dois casos da doença no município de Guarantã do Norte, extremo norte de Mato Grosso, na divisa com o Pará. Os casos foram registrados em uma mulher de 30 anos e um homem de 31. Além disso, também foi registrado em Primavera do Leste um caso de febre amarela em um classificador de grãos.


Leia também:
Governo prorroga por mais 180 dias situação de emergência nos hospitais regionais


O último caso de sarampo registrado em Mato Grosso foi em 1999. Agora, a Vigilância Epidemiológica Estadual, por meio da coordenadora Alessandra Moraes, investiga se essas pessoas contraíram o vírus em Mato Grosso ou em estados vizinhos, como Amazonas e Roraima, que já registraram centenas de casos de sarampo nos últimos anos.


Também foi realizado um bloqueio vacinal no município, e alerta para que se intensifique a vacinação da tríplice viral. O mesmo alerta foi enviado para os 16 Escritórios Regionais de Saúde (ERS) do estado. “O município já começou o bloqueio e a orientação é para que os moradores que não estão com o cartão de vacina atualizado procurem a unidade de saúde mais próxima”, aconselhou a coordenadora.


De acordo com a assessoria, também serão emitidos alertas aos viajantes e está programando uma web aula de Vigilância, Imunização e Laboratório para os profissionais da rede SUS.


“Alertamos aos viajantes, turistas, estudantes, migrantes, quando há intensificação de viagens internacionais para os países e mesmo em deslocamento nacional para os estados com surtos quanto a esta situação, com maior risco de exposição”, diz o documento emitido na tarde desta segunda-feira (25).


No caso da febre amarela, a Vigilância em Saúde de Rondonópolis, com apoio do Escritório Regional de Saúde (ERS), desencadeou as ações de prevenção e controle da doença começando por reunião estratégica emergencial entre as duas equipes, seguida de investigação do caso positivo e do local da possível infecção.


Foi realizada, ainda, a investigação de possíveis macacos infectados na região, a busca ativa de pacientes com possíveis sintomas da febre amarela nas unidades de saúde do município e bloqueio vacinal da população sem registro de vacina. As informações são da nota técnica assinada pela Gerência de Doenças e Agravos Endêmicos e Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica.


O caso continua sob investigação, porque durante entrevista o paciente relatou que no período que antecedeu o surgimento dos sintomas da doença ele havia percorrido várias áreas rurais dos municípios de Primavera do Leste, Itiquira, Campo Verde e Alto Taquari.


Diante deste relato, a equipe do ERS de Rondonópolis precisou estender as ações para os demais municípios realizando reunião ampliada para a elaboração do plano de enfrentamento. Os quatro já elaboraram seus respectivos planos e em todos há previsão da realização de um Dia D para repasse de informações à população e imunização daqueles que ainda não foram vacinados.


A SES solicitou ao Programa Nacional de Imunização (PNI) doses suficientes de vacina para estes quatro municípios. Mato Grosso é área endêmica para a doença e no período de 2010 a 2017 foram notificados 44 casos suspeitos e nenhum destes confirmados. O último caso confirmado no estado foi em 2009, no município de Feliz Natal.


Sarampo

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, podendo evoluir com complicações graves e óbitos. A doença é transmitida por meio das secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir e espirrar. A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba.


A região das Américas depois de um processo de verificação de uma série de documentos com embasamentos epidemiológicos em abril de 2015 recebeu a Certificação de Eliminação da Rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e em setembro de 2016 houve a Certificação da Eliminação do Sarampo.


No entanto, em outras regiões como a África, Ásia, Europa, é crescente o número de casos de sarampo que estão sendo registrados em diferentes países que ainda não conseguiram a eliminação, e que representam risco constante para importação da doença para países onde a eliminação do sarampo foi estabelecida.


Recomendações
De acordo com o Programa Nacional de Imunização (PNI), para prevenção, recomenda-se que os viajantes tenham suas vacinas atualizadas antes de viajar (preferencialmente com antecedência de 15 dias).


A vacina tríplice viral é recomendada inclusive para crianças de seis meses a um ano. A dose administrada nesta faixa etária, menor de 1 ano, não será considerada válida para o Calendário Nacional e Estadual de vacinação, devendo ser agendada a administração de dose da Tríplice viral (SRC) para os 12 meses e da Tetraviral (SRCV - sarampo, rubéola, caxumba e varicela) para os 15 meses de vida.


A SES/MT reforça que se consideram vacinadas até 29 anos de idade pessoas com duas doses completas. Com 30 anos ou mais uma dose, considera-se completamente vacinado. Toda dose informada deve ser comprovada através dos registros no cartão de vacinação ou cartão espelho. A vacina Tríplice Viral-SRC não é recomendada para as crianças menores de 6 meses, gestantes e indivíduos que apresentem contraindicações médicas.


Ao lado disso, a SES/MT observa ser importante reforçar a vacinação de profissionais que atuem no setor de turismo, motoristas de táxi, funcionários de hotéis e restaurantes, e outros que mantenham contato com viajantes, imigrantes, bem como os profissionais de saúde.


Todo caso de sarampo deve ter assistência e tratamento adequado com isolamento domiciliar e ou hospitalar em casos com complicações até o final do período de transmissibilidade.


A febre amarela
De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano.


O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A febre amarela tem importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti.


Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer. Em caso de sintomas, procurar a unidade de saúde mais próxima de casa. Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.


Prevenção
O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta vacina contra febre amarela para a população. Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que vão viajar para essas áreas deve se imunizar.


A vacinação para febre amarela é ofertada na rotina dos municípios com recomendação de vacinação nos seguintes estados: Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Além das áreas com recomendação, neste momento, também está sendo vacinada a população do Espírito Santo.

Nome

Agenda,2,By Regis,3,Coberturas,82,DESTAQUE,3,NODECK,2,Noticias,966,Social,146,Velho Oeste,1,Videos,95,VidroLider,1,
ltr
item
Acontece MT: MT registra dois casos de sarampo após 19 anos de erradicação e um de febre amarela
MT registra dois casos de sarampo após 19 anos de erradicação e um de febre amarela
http://www.olhardireto.com.br/imgsite/noticias/xshutterstock_550598923.jpg.pagespeed.ic.mOBSt6G2kI-(1).jpg
Acontece MT
http://www.acontecemt.com.br/2018/06/mt-registra-dois-casos-de-sarampo-apos.html
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/2018/06/mt-registra-dois-casos-de-sarampo-apos.html
true
4102166608156986089
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VER TODOS Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por HOME PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy