Empresário com terras em Diamantino é morto pelo filho deixa herança de R$ 300 milhões

Repórter MT Família Guimarães – do mega empresário José Carlos Guimarães, morto em 2008 a mando do próprio filho – está envolvida há dois...

  • Repórter MT

Família Guimarães – do mega empresário José Carlos Guimarães, morto em 2008 a mando do próprio filho – está envolvida há dois anos em uma disputa judicial pela herança do patriarca, avaliada em R$ 300 milhões. A briga judicial também envolve o Grupo Reical – um dos maiores fornecedores de calcário para o agronegócio de Mato Grosso.

Atualmente, o grupo é gerido pela viúva e pela filha do empresário, Idê e Adriana Guimarães, respectivamente. Mas em maio de 2016, a neta de Idê, Camila Nunes Guimarães, decidiu entrar na disputa societária, ao reivindicar a sua cota parte da empresa, além de sua parte na herança deixada por seu avô. Os bens envolvem propriedades urbanas e fazendas espalhadas em cidades como Várzea Grande, Cuiabá, São José do Rio Claro, Diamantino e Santo Antonio do Leverger.

Em fevereiro de 2017 Camila conseguiu a sua primeira vitória na Justiça, por meio da 5ª Vara Especializada de Família e Sucessões, que concedeu a ela 22% da herança de R$ 300 milhões e mais outros 22% de cotas das empresas Morro Grande Calcário e Reical Indústria de Comércio de Calcário.

No entanto, a avó e a tia de Camila recorreram da decisão e o caso está tramitando em segunda instância no Tribunal de Justiça Mato Grosso (TJ-MT).

Atualmente, Camila conseguiu ter acesso às cotas das empresas, mas ainda não recebeu a sua parte na herança.

Mesmo a Justiça reconhecendo Camila como sócia da avó e da tia, elas não permitem que a neta do empresário Guimarães tenha acesso pleno às instalações das empresas da família, além de retira-lá de todo o processo de contabilidade e lucros do negócio.

Diante da situação, Camila entrou com um recurso de agravo de instrumento no TJ-MT, para garantir o seu acesso às empresas. A liminar foi aceita, em março deste ano, pela relatora do caso, a desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho.

Desde então Idê e Adriana têm descumprido a decisão judicial, ao continuarem negando que Camila participe dos negócios da família.

A desembargadora já determinou multa diária de R$ 1 mil para as duas, devido ao descumprimento da decisão. A magistrada também alertou que elas correm o risco de serem presas – com base no Código Penal – caso não permitam o acesso de Camila as empresas Reical e Morro Grande Calcário.

“Desta feita, determino a intimação das agravadas para cumprirem imediatamente a determinação judicial de ID 1134991, sob pena de incidirem em crime de desobediência, previsto no artigo 330 do Código Penal (Desobedecer à ordem legal de funcionário público)”, destacou a desembargadora na decisão.

O mérito dessa ação ainda será julgado pela turma de magistrados da Primeira Câmara de Direito Privado do TJ-MT, que dará decisão final sobre o caso.

O tentou entrar em contato com a advogada Mariana, que faz a defesa da avó e da tia de Camila. No entanto, até a publicação desta matéria, não houve o retorno da ligação.

Mega empresário assassinado

O megaempresário do ramo de calcário José Carlos Guimarães tinha 67 anos quando foi assassinado em janeiro de 2008, a mando do próprio filho, Carlos Renato Guimarães, conhecido como Tato. Carlos – que na época confessou o crime – é pai de Camila. Ele foi condenado a 12 anos e cumpriu pena de 4 anos e 8 meses em regime fechado. Hoje ele está em condicional.

O assassinato foi desvendado pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) de Cuiabá. As investigações concluíram que Carlos contratou pistoleiros para assassinar o pai. Guimarães foi morto com três tiros na frente da sua empresa em Várzea Grande.

A época, o delegado Márcio Pieroni, que esteve à frente do caso, classificou o homicídio como “brutal e perverso” e que teria sido praticado por ambição.

“O filho possuía uma mágoa muito grande do pai. E também alegou que o pai maltratava a mãe. O que levou a isso é muita ambição, obsessão dele (Carlos Renato)”, disse o delegado.

 

Nome

Agenda,2,By Regis,7,Coberturas,89,DESTAQUE,3,NODECK,2,Noticias,1107,Social,168,Velho Oeste,1,Videos,106,VidroLider,1,
ltr
item
Acontece MT: Empresário com terras em Diamantino é morto pelo filho deixa herança de R$ 300 milhões
Empresário com terras em Diamantino é morto pelo filho deixa herança de R$ 300 milhões
http://odivisor.com.br/cms/files/noticias/6294/254_1.png
Acontece MT
http://www.acontecemt.com.br/2018/08/empresario-com-terras-em-diamantino-e.html
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/2018/08/empresario-com-terras-em-diamantino-e.html
true
4102166608156986089
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VER TODOS Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por HOME PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy