População pode impedir propagação de FAKE News nas mídias sociais

Hérica Teixeira | Sesp-MT A disseminação de notícias falsas, as chamadas fake news, tem colocado a vida de pessoas inocentes em risco, em fu...

Hérica Teixeira | Sesp-MT

A disseminação de notícias falsas, as chamadas fake news, tem colocado a vida de pessoas inocentes em risco, em função da rapidez com que estas veiculações tomam as mídias sociais e por criarem uma verdade que não existe. Segundo informações de técnicos da Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), uma solução para frear o avanço de notícias falsas é checar a fonte e, em caso de dúvida se o assunto é verdadeiro ou não, o correto a fazer é não compartilhar.

Nas últimas semanas, o estado de Mato Grosso foi alvo de algumas fake news, que colocaram as forças de segurança em alerta. Um dos casos apontava uma onda de sequestros de crianças e adolescentes em Cuiabá e Várzea Grande. Contudo, a Polícia Judiciária Civil confirmou que apenas um Boletim de Ocorrência foi registrado sobre o caso em Cuiabá, onde a mãe narra que tentaram levar sua filha enquanto passava por um ponto de ônibus, na região do Residencial Aricá. A denunciante já foi ouvida pela polícia.

Ainda sobre o caso, a Polícia Judiciária Civil informou que não há nenhum registro de criança desaparecida na região metropolitana, junto ao Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP).

Diante dos fatos que envolvem notícias falsas, a Coordenadoria de Infraestrutura Estratégica da Sesp apontou alguns cuidados a serem tomados pelos usuários da rede mundial de internet.

O primeiro deles é ler com atenção a notícia e não focar só no título, pois segundos os técnicos, há sites voltados só para criar notícias falsas e o artifício para atrair leitores é criar chamadas de impacto e o texto não conter nenhum embasamento lógico.

Outro cuidado é checar a fonte. Quando o usuário receber uma informação pelo aplicativo de mensagem, como o WhatsApp, que apareça a chamada da matéria e logo abaixo o endereço do site (URL) e um resumo do título, o correto a fazer é verificar se o site é confiável.

O terceiro passo é constatar se a informação recebida já consta em veículos de comunicação oficial, seja ele nacional ou local, dependendo da amplitude da notícia. A quarta instrução é fazer buscas por sites de checagens livres. Há vários disponíveis no mercado, a exemplo de boatos.org, aos fatos, projeto comprova, dentre outros.

A quinta instrução é que os sites oficiais apresentam um cadeado na barra de notícia (região superior da tela). Essa é uma medida a ser verificada pelo usuário. A sexta pontuação da equipe de inteligência da Sesp aponta que apesar do número de fake news ser predominante nas mídias sociais, a sociedade tem o poder de ampliar a divulgação de um boato. “Uma pessoa que ouviu falar algo e sai reproduzindo a informação, por exemplo, é uma das atitudes que mobilizam esforços e causam pânico desnecessário”.

Ainda segundo os técnicos, de todos os cuidados enumerados, o mais importante deles é o bom senso e o zelo ao próximo. “O cidadão precisa ter a consciência que uma pessoa inocente ser envolvida em uma história falsa acarretará em danos social, moral, psicológico e até mesmo à vida".

Os autores de fake news poderão responder por comunicação falsa de crime ou denunciação caluniosa.

Medidas importantes

1 – Leia com atenção a notícia recebida antes de compartilhar

2 – Checar a fonte da notícia

3 – Pesquise se a informação recebida já consta em veículos de comunicação

4 – Faça busca em site de checagem que estão disponíveis gratuitamente

5 – Verificar se o site que a notícia foi divulgada é um canal oficial

6 – Evitar reproduzir boatos que se sabe a procedência

7 – Bom senso na hora de compartilhar informações

Nome

Agenda,2,By Regis,7,Coberturas,89,DESTAQUE,3,NODECK,2,Noticias,1114,Social,168,Velho Oeste,1,Videos,106,VidroLider,1,
ltr
item
Acontece MT: População pode impedir propagação de FAKE News nas mídias sociais
População pode impedir propagação de FAKE News nas mídias sociais
http://www.mt.gov.br/documents/21013/9816863/not%C3%ADcia+falsa/433157cc-e31e-baba-52ed-522bc861fc7c?t=1539296308782+&imageThumbnail=3
Acontece MT
http://www.acontecemt.com.br/2018/10/populacao-pode-impedir-propagacao-de.html
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/2018/10/populacao-pode-impedir-propagacao-de.html
true
4102166608156986089
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VER TODOS Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por HOME PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy