UFMT recebe denúncia de supostas fraudes em cotas raciais do curso de medicina

OD - Fabiana Mendes A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) recebeu denúncia nesta quinta-feira (31) de supostas fraudes em cotas racia...

UFMT recebe denúncia de supostas fraudes em cotas raciais do curso de medicina

OD - Fabiana Mendes

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) recebeu denúncia nesta quinta-feira (31) de supostas fraudes em cotas raciais do curso de medicina, através do processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A queixa partiu do representante da União Nacional dos Estudantes (UNE) junto ao Conselho Estadual de Educação, Vinícius Brasilino, de 26 anos, que considera o sistema de cotas necessário para corrigir desigualdades históricas no país.


Ao Olhar Direto, Vinícius disse que a autodeclaração étnico-racial não é suficiente para ingressar em uma universidade através do sistema de cotas. “As cotas de negro, pardo e indígena dependem não só da autodeclaração. Essas pessoas nitidamente você consegue identificar que não se enquadram nos padrões para entrar nas cotas de negros e indígenas. Por isso a gente oficializou a denúncia”, disse.


Ele afirmou que irá entrar também com uma ação no Ministério Público Federal (MPF) para apurar fraudes em outros cursos. Segundo ele, alguns alunos estariam tentando burlar até mesmo cotas destinadas para Pessoas com Deficiência (PCD). “As pessoas estão tentando se beneficiar com as cotas, mas não é tão simples assim. Existem cotas sociais, mas a cota que estamos questionando é a racial. A cota que trata realmente de corrigir uma desigualdade histórica, quanto do povo negro, como do povo indígena”.


Entre as pessoas investigadas, estariam também jovens com descendência japonesa. “A gente não consegue entender, são pessoas com nome, sobrenome e aparência.  Tratam como se fosse apenas uma questão da árvore genealógica, mas a questão racial no Brasil é uma questão social”, ponderou.


Brasilino diz que é necessário apurar a denúncia, pois os jovens podem estar ocupando vagas que não pertencem a eles. “Ninguém se identifica pardo quando esta tomando um ‘baculejo’ da polícia, não são identificados pardos aqueles 70% de jovens que são mortos pela violência no nosso país. Se identificar como pardo e negro apenas para entrar na universidade é conveniente e a cota não é um objeto de conveniência, ela é uma reparação histórica. Por isso a gente denunciou e eu expus com muita consciência do que estava fazendo. Se não questionarmos a veracidade deste processo, vamos estar com inúmeras pessoas ocupando a vaga que não é sua na universidade, de fato, nem de direito”, disse.


Cotas


Todas as universidades federais possuem vagas reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas, de acordo com a Lei nº 12.711/2012 (Lei de Cotas), alterada pela Lei nº 13.409/2016.. Existe também um percentual de vagas reservadas para estudantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas. Além disso, cada universidade participante também pode oferecer vagas para suas próprias ações afirmativas, como por exemplo: pessoas com deficiência e quilombolas.

 
Outro lado


Procurada, a assessoria de imprensa da UFMT se manifestou por meio de nota. Veja posicionamento na íntegra:


A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) recebeu, por meio de sua Ouvidoria, e vai apurar a denúncia a respeito do não cumprimento de requisitos de estudantes aprovados nas vagas reservadas para ações afirmativas. Independentemente das denúncias, no ato da matrícula, já são adotados procedimentos de verificação da veracidade das informações constantes nas autodeclarações dos estudantes pela Comissão Permanente de Homologação e Acompanhamento de Matrículas por Ações Afirmativas.


Conforme o item 5.6 do edital 002/2018, disponível na Central de Ingresso da UFMT, “os candidatos que se enquadrarem nas categorias de ingresso de pretos, pardos e indígenas terão a autodeclaração submetida à comprovação de veracidade, podendo ser convocado a qualquer momento pela Comissão Permanente de Homologação e Acompanhamento de Matrículas por Ações Afirmativas”.


Caso seja confirmado que o estudante aprovado por meio da lei de cotas não cumpre o requisito, ele será declarado inelegido e, consequentemente, a vaga será preenchida por outro estudante que se encontra na lista de espera.


Segundo o cronograma disponibilizado na Central de Ingresso, a lista dos inelegidos da 1ª chamada será publicada no dia 13 de fevereiro, cabendo recurso nos dois dias seguintes. Qualquer cidadão pode acessar a Ouvidoria pela página eletrônica.


http://www1.ufmt.br/ufmt/un/ouvidoria

Nome

Agenda,4,Brasil,127,Coberturas,35,DESTAQUE,2,INTERNACIONAL,31,Notícias,577,Rosário Oeste,11,VÍDEOS,43,
ltr
item
Acontece MT: UFMT recebe denúncia de supostas fraudes em cotas raciais do curso de medicina
UFMT recebe denúncia de supostas fraudes em cotas raciais do curso de medicina
http://www.olhardireto.com.br/imgsite/noticias/UFMT-assedio(1)(1).jpg
Acontece MT
http://www.acontecemt.com.br/2019/01/ufmt-recebe-denuncia-de-supostas.html
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/
http://www.acontecemt.com.br/2019/01/ufmt-recebe-denuncia-de-supostas.html
true
7112361718051245540
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VER TODOS Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por HOME PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy