730 servidores de Mato Grosso receberam auxílio emergencial de forma irregular


Um cruzamento de dados da Controladoria Geral da União (CGU) identificou que somente no mês de maio, 730 servidores públicos do Estado de Mato Grosso receberam de forma irregular, parcelas do pagamento do auxílio emergencial que ficou conhecido como ‘coronavoucher’.
  
O levantamento também apontou que o valor gasto com os pagamentos irregulares feitos aos servidores do Estado chegou a mais de R$ 453 mil.

A CGU, no entanto, explica que é possível que os servidores não tenham feito solicitação para o seu recebimento, mas que tenham sido incluídos como beneficiários do Auxílio Emergencial de forma automática por estarem no Cadastro Único para programas sociais ou por serem beneficiários do Programa Bolsa Família.

Ainda conforme a CGU, existe também a possibilidade de que o CPF tenha sido inserido como solicitante do auxílio de forma indevida por outra pessoa e não necessariamente pelo próprio servidor.

Os cruzamentos efetuados, relacionados ao mês de maio, apontam para a existência de pagamentos a 318.369 pagamentos a agentes públicos incluídos como beneficiários do Auxílio em todo o país.

O montante de recursos envolvidos para os pagamentos realizados a servidores públicos no mês foi de R$ 223.957.800,00

Os resultados dos cruzamentos foram encaminhados aos órgãos estaduais e municipais responsáveis pelas bases fornecidas à CGU para tratamento, bem como ao Ministério da Cidadania para tomada de decisões em relação a eventual bloqueio ou suspensão de benefícios pagos a beneficiários potencialmente não elegíveis.

O objetivo do trabalho é evitar desvios e fraudes, garantindo que o benefício seja pago a quem realmente se enquadra nos requisitos definidos para o seu recebimento.

POR: OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem