Cuiabá recebe doação de 300 mil EPIs da JBS e fortalece enfrentamento à Covid-19


O projeto beneficiará cerca de 63 milhões de pessoas no país. 1,5 mi delas em MT

A Prefeitura de Cuiabá recebeu, no sábado (4), 300 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) entre aventais, macacões impermeáveis, máscaras cirúrgicas e N95, propés e viseiras faciais doados pelo frigorífico JBS, por meio do programa ‘Fazer o Bem Faz Bem — Alimentando o Mundo com Solidariedade da JBS’.

Os equipamentos já estão disponíveis no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos da Secretaria Municipal de Saúde (CDMIC) e, de acordo com o secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho, fortalecerão o enfrentamento à Covid-19 na Capital.

“Esses EPIs vão somar ainda mais com o enfrentamento da Capital contra a Covid-19, nos trazendo a tranquilidade de saber, que em meio a tanta dificuldades que estamos enfrentando, nossos servidores continuarão recebendo a proteção de qualidade que ofertamos até aqui. Por isso, em nome de toda a gestão Emanuel Pinheiro, quero agradecer imensamente à JBS, que teve a sensibilidade de olhar para Cuiabá, principalmente nesse momento em que não apenas nós, mas o país inteiro, está enfrentando escassez dos produtos relacionados à Covid”, frisou Pôssas.

Em todo o Brasil, o projeto está investindo R$ 400 milhões contra a pandemia. R$ 26,7 milhões em MT, sendo R$ 10 milhões para o Estado no geral, e R$ 16,7 milhões para outros 18 municípios mato-grossenses.

Segundo Marcelo Grapiglia, gerente industrial da unidade da JBS Biodiesel em Campo Verde, distante 137 KM de Cuiabá, os recursos estão sendo aplicados nas três frentes de atuação do programa — saúde, assistência social e ciência. A estimativa é que mais de 63 milhões de pessoas sejam beneficiadas com as ações, sendo 1,5 mi delas em MT.

“Como empresa cidadã é muito significante poder contribuir com a comunidade onde vivemos e participamos. As doações chegam em um momento importante para o atendimento da população e para ajudarmos a salvar vidas na região”, enfatizou.

A alocação dos recursos considera um diagnóstico feito com sistemas de saúde municipais e estaduais e incluiu entrevistas e análise de dados. Essas informações foram avaliadas por especialistas dos três comitês independentes do programa da JBS nas áreas de saúde, social e ciência e que, com larga experiência em seus respectivos setores de atuação, apoiaram na definição das ações e projetos atendidos.

Saiba mais sobre o programa no site: jbs.com.br/fazerobemfazbem

Com informações-assessoria JBS.

OZIANE RODRIGUES
Assessoria JBS

Postagem Anterior Próxima Postagem