PM fecha festa clandestina com adolescentes, droga e bebidas; cidade é a 2ª em MT com mais casos e mortes de Covid-19

Em meio à pandemia, PM fechou festa clandestina em Várzea Grande — Foto: Polícia Militar de Várzea Grande

Homem disse que havia alugado a casa por R$ 350 para o evento e que cobrou R$ 50 por participante. Várzea Grande é a 2ª cidade com mais mortes e casos de Covid-19 em MT.

Em meio à pandemia, PM fechou festa clandestina em Várzea Grande — Foto: Polícia Militar de Várzea Grande

Uma festa clandestina foi fechada na madrugada deste domingo (5) e 38 pessoas foram conduzidas à delegacia em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Militar, havia adolescentes consumindo álcool, droga, armas e bebidas. O flagrante ocorreu em um momento de pandemia do coronavírus (Covid-19). Várzea Grande é a segunda cidade com mais mortes e casos da doença.

A ação ocorreu no bairro Costa Verde, a partir da abordagem de um veículo no qual estavam seis pessoas. O vidro do carro era tão escuro que chamou a atenção dos policiais.

No carro foram apreendidas seis porções de maconha e bebida. O condutor reagiu à ordem de prisão, mas acabou sendo mobilizado.

Objetos e celulares apreendidos na festa clandestina — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

O motorista do veículo não admitiu ser dono da droga, mas acabou confessando, ele e os passageiros, que estavam a caminho de uma festa em uma residência.

A chegada de equipes da PM na festa provocou uma grande correria. Adultos e adolescente tentando fugir pelo telhado e saltando janelas e muros.

No meio da rua, também tentando fugir, uma das equipes da PM prendeu o responsável pela festa. O homem disse que havia alugado a casa por R$ 350 para esse evento e que estava cobrando R$ 50 por participante.

Outra equipe de policiais encontrou em um dos quartos a arma citada pelo condutor do carro abordado minutos antes, um revólver calibre 38 com cinco munições.

Dos 13 menores identificados na festa, 10 admitiram que estavam consumindo bebida alcóolica. Em alguns deles o exame de alcoolemia apontou embriaguez, até 0,48 mg/l de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

Além de responder por crime do artigo 268 do Código Penal, que é infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, no caso específico a pandemia do coronavírus (Covid–19), há participantes que podem ser enquadrados por corrupção de menores, porte ilegal de arma, tráfico de droga, entre outros.

Por G1 MT

Postagem Anterior Próxima Postagem