Polícia Militar mata homem após roubo de carro e ‘arrastão’ de celulares



Um homem de 22 anos, identificado como Daniel Pereira Santana, 22 anos, vulgo "Lucas”, morreu na noite da última quarta-feira (1) em um confronto com a Polícia Militar em Várzea Grande. Ele havia roubado um Honda Fit dourado e usado para fazer um arrastão, levando diversos celulares, na Vila Arthur. Uma mulher, que agiu junto com ele, foi detida.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o fato aconteceu por volta das 21 horas. A Polícia recebeu informações de que um carro e um iPhone 8 haviam sido roubados por um casal, e que logo depois o mesmo veículo havia sido usado para realizar um “arrastão” no mesmo bairro. Neste crime, foram levados diversos celulares de um grupo de jovens que estava em frente a uma casa. Os policiais encontraram o carro citado no Jardim Alá, e deram ordem de parada. Os suspeitos, no entanto, aceleraram e fugiram pelas ruas. Iniciou-se aí uma perseguição.

Já na rua 22 de abril, o carro simulou uma parada, e Daniel desceu com a arma em punho. Em resposta, os policiais atiraram contra ele. O rapaz ainda saiu correndo, e entrou em uma rua sem saída. Ele foi visto por populares entrando em uma casa e, logo depois, foram vistos sinais de sangue e ouvidos gritos. O suspeito, então, foi localizado pela Polícia. Ele continuava com a arma em punho, e o 3º sargento da Polícia Militar, então, disparou contra Daniel novamente.

O motorista do carro perdeu o controle e subiu em uma calçada, parando somente depois de bater contra um padrão de energia em uma rua. Ele e a mulher envolvida no caso fugiram a pé por um matagal.

O homem que dirigia o carro chegou a efetuar disparos contra a equipe, mas conseguiu fugir. A mulher foi detida e levada à Delegacia. Foi acionado o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas, como houve demora, os policiais levaram Daniel ao Pronto Socorro de Várzea Grande.

A equipe médica plantonista constato u que o suspeito não resistiu e morreu. Foram acionados equipes da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) para coleta de dados. O homem que morreu tinha um mandado de prisão aberto em seu desfavor. A arma de fogo, revólver calibre 38 de marca Taurus, com três munições intactas, uma munição percutida não deflagrada e uma munição deflagrada, foi apreendida e entregue ao oficial responsável.

POR: OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem