Presidente da Fecomércio diz que Emanuel teve "bom senso" ao revogar decreto


Presidente da Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso, José Wenceslau afirmou que o recuo do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), diante do rodizio de veículos e atendimentos em estabelecimentos por CPF, foi possível após união das entidades. Ele agradeceu ao “bom senso” do chefe do Executivo Municipal, que revogou os artigos do decreto 7.975 de 2 de julho de 2020​. 

“Conseguimos com que esses itens fossem revogados. O que causaria um transtorno sem precedentes da nossa Capital. Agradeço ao bom senso do prefeito em atender as nossas solicitações. Reforço também que estamos atentos as atividades relacionadas a reabertura do comércio, tanto em Cuiabá quanto no interior do Estado”, afirmou neste sábado (4).

Na manhã de sexta-feira (3), uma comissão de empresários, comerciantes, representantes da Câmara dos Dirigentes Logísticas (CDL) e Fecomércio se reuniram com Pinheiro para debater o funcionamento dos estabelecimentos da capital e as novas regras impostas pelo município. Na ocasião, os representantes questionavam o motivo da falta de diálogo entre o poder público e a população.

Emanuel Pinheiro, por sua vez, disse que entende a reação contrária que viu contra o decreto do último dia 2 que instaurava o rodízio no tráfego de veículos e limitação por CPF nos atendimentos presenciais realizados por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras de bebidas.

Emanuel afirmou que a intenção é combater a propagação da Covid-19 e que nenhum decreto surtirá efeito sem a colaboração da população. A medida foi suspensa após críticas. 

O chefe do executivo municipal disse que esteve atento à polêmica gerada com o decreto do dia 2 e entende a reação. No entanto, o prefeito disse que a mudança nos hábitos da população, para que a transmissão diminua, é inevitável.

"Sei que mudar o nosso dia a dia, os nossos costumes, os nossos hábitos, não é fácil. Mas é hora de chamarmos à reflexão sobre o papel de cada um de nós neste combate ao novo coronavírus. Muitas vezes, se exige tudo do prefeito, que ele tome as medidas certas, que ele não erre, que ele seja um grande líder, que ele vença a guerra no combate à Covid-19, desde que eu não faça nenhum sacrifício na minha vida e continue a tocar a minha vida, se possível, do mesmo jeito que eu tocava antes da pandemia. Minha gente, não vai dar certo! A guerra contra a Covid-19 só terá êxito, só vamos vencer essa guerra, se cada um fizer a sua parte!".

POR: OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem