Presos pela PF movimentaram R$ 20 milhões com tráfico de cocaína financiado por empresa de turismo


As investigações da Polícia Federal apontaram que os alvos da 'Operação Fausto', deflagrada nesta quarta-feira (08), com o objetivo de combater organização criminosa voltada ao tráfico internacional de cocaína e lavagem de dinheiro, movimentaram R$ 20 milhões com o esquema. Eles utilizaram uma suposta empresa de turismo para financiar o crime.

O trabalho policial aponta que os investigados teriam  movimentado entre 2017 e 2020 mais de R$ 20 milhões. A maior parte da movimentação suspeita era realizada em nome de familiares e empresas de fachada.

A PF identificou que o tráfico de drogas era financiado por meio de uma suposta empresa de turismo. A instituição comercial alugava veículos, imóveis e reservava hotéis na região de fronteira. Além disso, equipamentos eram comprados e os valores eram transferidos para os investigados e seus familiares.

A empresa também operava contratos aparentemente falsos de compra e venda de dólar, usando cadastro de pessoas sem autorização, esquema conhecido como “boletagem”.

Ao todo, a Polícia Federal prendeu cinco pessoas acusadas de participação no esquema. Entre elas, estaria um advogado, que está com a carteirinha da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) suspensa.

Também foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão em diversos endereços nos estados de Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais. As ordens foram expedidas pela 5ª Vara Federal de Mato Grosso.

A Polícia Federal informa que, a realização de operações de câmbio e a movimentação de moeda estrangeira de forma ilegal ou em desacordo com as normas do Banco Central (Bacen) e da Resolução do Conselho Monetário Nacional – CMN nº 3.568/2008, constitui crime contra o sistema financeiro nacional e indica lavagem de dinheiro.

POR: OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem