Coordenador de campanha de Emanuel diz que DEM está “desesperado” após pesquisa


O ex-secretário de Obras Públicas de Cuiabá e futuro coordenador da campanha de Emanuel Pinheiro (MDB) à reeleição, caso este confirme candidatura, Vanderlúcio Rodrigues classificou como “desespero” as declarações do presidente do Democratas em Mato Grosso, Fábio Garcia, que descredenciou as recentes pesquisas que colocam o atual prefeito como predileto nas eleições de novembro.

"É o desespero. Se ele acha que é furada, é só contratar um instituto e fazer a pesquisa. O que eu vejo é que o resultado dessa pesquisa é a voz das ruas. Estamos trabalhando e o povo está vendo. Nem colocamos o nome para a disputa e somos o primeiro. Já o outro lado não decide e ainda reclama de resultado. É desespero. Isso demonstra desespero", considerou Vanderlúcio.

Na referida pesquisa, feita pelo Instituto Analisando, Emanuel aparece com 38,1% das intenções de voto. O segundo colocado é o ex-prefeito Roberto França (Patriota), com 14%, uma diferença de 24 pontos percentuais do primeiro colocado.

Já Fábio Garcia, que segundo fontes ligadas ao DEM é a última chance de candidatura própria do partido em Cuiabá, aparece em sexto na pesquisa eleitoral, com 1,1% das intenções de voto na pesquisa estipulada, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número MT-06212/2020. O vereador Marcelo Bussiki, que também chegou a ser cotado, sequer pontuou.

Na quarta-feira (26), ao ser questionado sobre a pesquisa, Garcia disse que “nunca vi uma pesquisa tão furada como essa”. Ele acrescentou dizendo que, caso saia como candidato, acredita que poderá levar o pleito para um segundo turno, o que em sua avaliação enfraqueceria Emanuel, frente à rejeição de mais de 50% do emedebista, apontada no mesmo levantamento.

Emanuel está em Brasília há cerca de uma semana e deve retornar para Cuiabá ainda hoje. A expectativa é de que neste final de semana ele reúna seu grupo político e defina se virá ou não candidato.

O DEM, por sua vez, segue batendo cabeça. Em meio à uma crise interna, ampliada após o anúncio dos Campos de que iriam apoiar a candidatura de Nilson Leitão (PSB) ao Senado, a tendência é de que tudo fique como está, com o partido dividido e sem candidatura própria, tanto na eleição suplementar como na municipal em Cuiabá.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem