Em período de indecisão sobre candidaturas, DEM tem semana decisiva para aparar arestas


O Diretório Estadual do Democratas terá uma semana decisiva para definir o nome do candidato a prefeito de Cuiabá. o partido também deve decidir se vai liberar seus componentes para apoiar candidaturas distintas na disputa suplementar do Senado. O grupo ainda discute se vai apoiar apenas um concorrente. 

Tudo já era para ter se finalizado nesta semana que se passou. Porém, a decisão de Jayme Campos, Júlio Campos e Dilmar Dal Bosco em apoiar o candidato Nilson Leitão (PSDB), acabou mexendo com as estruturas do grupo. 

O senador Jayme Campos, em discurso na reunião de lançamento da campanha de Nilson, disse que ninguém "colocaria cabresto" em sua história. E que ele apenas "comunicaria" seu apoio ao candidato do PSDB, pois pela história que construiu dentro do Democratas ele não precisaria "pedir permissão" ao presidente da cúpula. 

Além disso, Leitão ainda confirmou que o ex-governador Júlio Campos será seu primeiro suplente na campanha deste ano. Acompanhado de José Marcio Guedes, indicado do senador Wellington Fagundes (PL). 

Em resposta, um dia depois, o governador Mauro Mendes pediu respeito de Jayme e Júlio com o partido, pois a decisão de apoiar um ou outro candidato passaria pela executiva, que tem 70 membros. 

O que se sabe é que se houver uma liberação oficial para que cada um possa apoiar quem bem entender, o grupo do governador deve declinar apoio para o candidato Carlos Fávaro (PSD), o grupo de Eduardo Botelho deve apoiar o vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) e o grupo dos Campos deve continuar com Nilson Leitão (PSDB). 

Todos os membros do Democratas negam, mas o partido está rachado e passa por um período de desentendimento. Mas, eles precisam decidir além da composição para a vaga do Senado, quem será o candidato em Cuiabá. 

O nome mais badalado e comentado é do ex-deputado federal e atual presidente do partido, Fábio Garcia. Fabinho chega com apoio da maioria, inclusive dos irmãos Campos. Ele, inclusive, é um dos maiores opositores de Emanuel Pinheiro (MDB), atual prefeito, quanto ao andamento da gestão. 

O grupo tem até o dia 31 de agosto para montar grupo e em seguida marcar a convenção partidária. Por conta disso, é natural que essa semana seja a derradeira na escolha do candidato e de quem eles irão apoiar na campanha ao Senado, que em Cuiabá será decidida no mesmo dia da eleição municipal, em 15 de novembro desse ano.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem