ENTREVISTA: Site AconteceMT realiza uma entrevista com o prefeito João Antonio Balbino; Confira!

Emmanuel Duailibi - AconteceMT

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PREFEITO JOÃO BALBINO 

ACONTECEMT - Prefeito, de onde veio, quanto veio e como vem sendo gasto o dinheiro destinado ao combate ao COVID -19? 

JOÃO BALBINO: Primeiramente bom dia Emmanuel, bom dia a todos os aqueles que acompanham o site AconteceMT, eu quero dizer que é uma alegria muito grande estar aqui dando entrevista para no seu site de noticias muito visto, muito acompanhado não só aqui em rosário mais em toda a região. 

Bom Emmanuel , é um recurso que vem do Governo Federal, um recurso que ele vem destinado para recomposição de perdas, porque recomposição de perdas. Porque nesse período de pandemia, as pessoas em isolamento deixaram de consumir, e deixando de consumir deixam de circular impostos, então é natural que a arrecadação caia. 

Então esse dinheiro veio dividido uma parte que na sua maioria é para recompor a perda que os municípios tiveram, para honrar os seus compromissos, pagar servidores, pagar a previdência. E a outra parte que é menor, veio para investir na ação social e na saúde. Como foi feita esse investimento? Na ação Social, esse investimento foi feito através de cestas básicas para pessoas afetadas diretamente nesta pandemia, tais como diaristas e famílias que realmente necessitam. Nós temos o mapeamento desses relatórios, temos o relatório das assistentes sociais em nossa Secretaria de Ação Social e que veio para atender a essas famílias que estão em extrema vulnerabilidade neste momento de pandemia. Existe outra parte veio para a saúde, para investir em maquinas para os servidores, em exames, testes, equipamentos de segurança para os servidores enfim, são recursos que vieram do Governo Federal que se não me engano da um total R$ 4.000,000 00 (quatro milhões e pouco), divididos em quatro parcelas. Dessas parcelas veio R$ 62 mil pra ser investido na saúde e na área social e o restante para suprir servidores, fornecedores e demais obrigações que o Município tem. 

ACONTECEMT - Como esta sendo o combate ao covid 19 aqui no município? Quais as grandes dificuldades encontradas? 

JOÃO BALBINO: Primeiramente nós estamos realizando muitos testes, a população que tem suspeita de estar com febre, apresentando algum sintoma ou teve contato com alguém que foi testado positivo, nós temos a central de covid-19 que funciona durante a semana das 7 horas da manhã até às 11 horas da noite, no sábado das 7 horas da manhã às 17 horas. Assim, essas pessoas vão até lá e fazem o teste, e testando positivo é orientada a ficar em isolamento com sua família e a secretaria municipal de Saúde vai prestando a devida assistência e orientações com os medicamentos. 

Lembrando que quando a pessoa sentir algum dos sintomas, deve ir até a secretaria ou através do encaminhamento médico, após o teste ter sido feito e a pessoa tem que ter a consciência de que ela precisa preservar os seus amigos e familiares fazendo o isolamento, tomando as precauções, as medicações indicadas pelo médico. Então, depois disso quando passar o período, se não houver complicações, realiza-se o teste novamente caso dê negativo, essa pessoa é orientada a seguir sua rotina normal, com as devidas restrições que o momento exige. Mas a principal forma é conscientização da população, pois vemos muita gente que ainda se aglomera, estão frequentando a praia às beiras de rios, as festas em residência, em sítio, essas pessoas não estão entendendo o momento que a gente vive, e estão colocando em risco a vida dela e de seus familiares. Pode acontecer de a pessoa sair e trazer a doença para casa, às vezes ela não é afetada com isso, mas a mãe que é idosa, ou ele tem um irmão que é hipertenso, obeso, isso acaba acarretando problema para família. Portanto é importante a população entender que nós ainda estamos lutando com essa pandemia, embora o governador flexibilize, liberando festas e a prática de esporte, nós ainda estamos reféns dessa doença. Siga as orientações, use máscara, use o álcool gel, enfim, não podemos descuidar. Quem tiver que trabalhar que trabalhe, mas seguindo as orientações, as formas adequadas para que ele não se contamine e contamine seus familiares e amigos. 

ACONTECMT - Quais os projetos que estão em andamento ou os quais o senhor destacaria que são de grande importância para sociedade rosariense? 

JOÃO BALBINO: Tive a felicidade de entregar vários projetos importantes para a população rosariense, por exemplo, a creche, e foi uma obra iniciada no governo Zeno Gonçalves, atravessou o governo do Dr. Joemil Araújo, e eu tive a felicidade de entregar, assim como a captação de tratamento do DAE, que também foi obra que começou em governos anteriores e eu tive a felicidade de entrega-la. Assim como a Praça no Bauxi, a reforma e ampliação da unidade de saúde nos bairro, a entrega de quase todo bairro monjolo asfaltado, asfalto no nossa senhora Aparecida e no Santa Isabel, a quadra do lado da Escola João Batista, a entrega de várias reformas nas unidades de saúde do município, modernizamos os equipamentos, ampliamos e reformando essas unidades, preparamos ela para atender a população com mais conforto. Também fizemos várias reformas em unidades educacionais, fizemos tudo que tava no nosso alcance. Essa consciência tanto eu como a minha equipe temos. É lógico que a gente sonhou com muito mais, entregamos mais de 50 pontes novas no município, mas, tem muita gente que fala assim: “ah, mas é de madeira”. Mas a cada ponte de concreto eu faria três de madeira, e como nós temos mais de 90 pontes, grande parte delas está em situação precária e ainda temos pontes para reformar, eu precisei fazer conforme o que eu dava de fazer. Trabalhamos muito tanto na zona rural como na cidade, todo o ano a gente tenta fazer 2.500 km de estrada, nós tentamos fazer o máximo pelo município, eu tenho a felicidade de poder entregar obras muito importantes para Rosário e não é mérito só meu como prefeito, tem toda uma equipe envolvida. Deputados, Senadores, pessoas que acreditaram na gestão e investem em obras de drenagem e asfalto que estão sendo concluídas. Infelizmente deu uma paralisada agora por várias razões como, por exemplo: a pandemia, pois muitos órgãos do Governo Federal e do Estado estão trabalhando em “home Office”, isso atrasou a análise de projetos, a análise das medições, acarretando o atraso nas obras. A culpa não é nossa e nem deles, ninguém tem culpa dessa pandemia. 

Infelizmente enrolou as equipes que estão cada vez mais enxutas e a tramitação cada vez mais demorada nos órgãos públicos. Mas nós estamos lutando muito e além dessa obra da drenagem do asfalto que falta ser concluída e eu espero concluir até o final do meu mandato. Temos ainda o CRAS, o novo CRAS que está sendo construído ao lado da prefeitura, a reforma do centro de especialidade que será modernizado com todo equipamento, conforme as regras de acessibilidade, melhorando conforto e atendimento para a população. E nós temos ainda a manutenção diária da máquina, limpeza, tapa-buraco, manutenções em escolas e unidades de saúde que não foram paralisadas. Importante destacar Emmanuel, que embora nós estejamos enfrentando a pior crise econômica e política que o Brasil já passou nos últimos 90 anos, agora com a pandemia essa crise econômica se agrava ainda mais. 

Mas mesmo assim não abaixamos a cabeça, trabalhamos muito e fizemos tudo que era possível. Entregamos obras importantes como, uma unidade de saúde moderna no bairro aeroporto, porque o aeroporto é um bairro que está crescendo e tem tudo para se desenvolver. Enfim, foram inúmeras entregas durante esses oito anos, com muito sacrifício, não só meu, mas de toda a equipe de governo. Essas entregas se não fosse pela permissão e benção de Deus, nós não conseguiríamos realizar. Basta ver que cidades com poder econômico muito maior do que o nosso não conseguiram entregar o que nós entregamos durante esses oito anos de governo. São oito anos de dificuldade que enfrentamos e que o nosso país também enfrentou, mas assim estamos muito otimistas porque estamos entregando o município equipado. Tínhamos duas ambulâncias uma sucateada e uma pequena. Hoje nós temos seis ambulâncias todas equipadas, sendo três com U.T. I móvel, caminhões para a agricultura familiar, hoje nós temos VAN´s, micro-ônibus, veículos para os nossos funcionários realizarem os seus trabalhos de forma mais precisa. Temos equipamentos e motos, investimos em tecnologia, o município esta bem aparelhado e preparado para o futuro. 

O próximo Prefeito encontrará um município bem organizado, bem estruturado, melhor financeiramente, terá tudo para fazer um mandato muito melhor do que o meu. 

ACONTECEMT - Como o senhor está vendo as articulações políticas para as eleições municipais? 

JOÃO BALBINO: Embora eu esteja fora desse processo, o meu papel nesse momento não está ligado à disputa eleitoral, o meu papel no processo é organizar o município para o próximo prefeito. Mesmo de fora das articulações a gente escuta falar, conversamos muito com a população, que recebe muitas informações. Hoje os candidatos que mais se destacam aí pelo que eu escuto é o Luiz Fernando e Alex. Nós temos também dentro do meu partido do Zeno Gonçalves, o Dr. Dejair e a Tânia Conrado no PSC. Então assim, esses são os nomes que eu mais escuto falar no dia a dia, Luiz Fernando, do Alex, do Dr. Dejair, da Tânia e aí tem o nome do Ramos, do Euclides Maciel que também a gente escuta falar. 

Sendo assim eu acho que com cada semana que passa e vai chegando perto das convenções do dia (30/08) e no dia (16/09), as coisas tendem a afunilar. 

O PL que é o meu partido do qual eu posso falar com mais propriedade, temos dois pré-candidatos: o Zeno Gonçalves, que já foi prefeito do município e o Dr. Dejair Liu, que é o nosso procurador Municipal, servidor de carreira provavelmente até as convenções decida-se entre um dos dois candidatos ou Dr. Dejair Liu ou Zeno Gonçalves. 

“Estou bem tranquilo com relação aos partidos, pois às discussões estão caminhando bem e tem de tudo para que a gente defina nas convenções. O melhor candidato será escolhido, não para o João Balbino, não para o governo, mas para Rosário Oeste”. Disse. 

ACONTECEMT - O senhor irá apoiar algum candidato a prefeito, quem? 

JOÃO BALBINO: Olha eu sou uma pessoa de grupo eu acho que política é feita com grupo, então como eu pertenço a um grupo político e no meu partido tem dois pré-candidatos como eu disse anteriormente o Dr. Dejair Liu e o Zeno Gonçalves, qual o partido escolher eu estarei pronto para ajudar na condução política. Estarei pronto para ajudar apoiando esses candidatos e é importante dizer Emmanuel, que são candidatos que embora sejam do meu partido e consequentemente do meu grupo político, não quer dizer que vão dar continuidade. São pessoas diferenciadas, e qualquer um dos dois que for escolhido, Rosário Oeste será bem representado politicamente. Então, eu estou tranquilo em relação a isso, o que o partido decidir eu estou pronto para ajudar. São pessoas que têm visões diferentes, embora eles sejam do mesmo grupo político do mesmo partido, será um novo governo, novas composições, novas missões, novos ideais, novas vontades políticas que virão, caso um deles seja eleito. Eu não vejo como continuidade como muitos adversários falam, são pessoas que possuem a sua própria visão, estilo próprio, personalidade própria e farão um governo diferenciado, repito, caso sejam eleitos. 

ACONTECEMT - Como o senhor recebe e responde as críticas da oposição? Elas se devem a que? 

JOÃO BALBINO: Eu respeito muito a oposição, um governo sempre precisa de uma oposição que aponte os defeitos e que faça criticas construtivas, pois senão você cai na zona de conforto e acha que tá tudo bem e às vezes não está. Neste sentido que a oposição ajuda, ela exerce um papel muito importante para qualquer governo, uma oposição coerente, por exemplo, eu respeito muito o Luiz Fernando e Alex ao qual foi meu adversário em duas disputas. 

Eles sempre pontuaram questões e sempre fizeram críticas apontando defeitos, apontando problemas e tem que ser respeitado. São visões diferentes. Quando a gente ganha uma eleição, temos que governar para todos e tem que respeitar todas as opiniões, mesmo não concordando com elas e mesmo discordando do que a oposição fala, ela merece ser respeitada. 

As criticas tem que ser levadas em consideração, porque é uma parcela da sociedade que está apontando aquilo ali (problemas). A gente tem que respeitar muito e avaliar, ter humildade de reconhecer quando erramos e fazermos o correto para melhorar. 

Não podemos achar que sabemos tudo, que estamos fazendo tudo certo e que tudo de bom aconteceu no governo porque não é verdade. Nós temos que reconhecer as nossas falhas, fazer uma autoavaliação do quê que poderíamos ter feito melhor. A oposição tem um papel fundamental. 

Agora existe diversos tipos de oposição, uma oposição que aponta os problemas o que é normal e bom para gestão e tem oposição que é oportunista, age em situações de conveniências e oportunidades por exemplo. Temos opositores que foram a favor do governo durante quatro anos, os quatro anos do meu primeiro mandato. 

Enquanto a família dele estava participando do governo não era opositor, a família dele não participou mais do governo, se tornou oposição. Então, isso é uma posição de conveniência, ou seja, se está beneficiando minha família estamos juntos, se não, estou fora. 

Esse tipo de oposição é que não acrescenta nada. Assim como a oposição que só critica sem apresentar soluções. Recebo aqui no gabinete muitas pessoas que me apoiam e outras que não me apoiam, mas não desisti apesar das criticas. Ficar só apontando o dedo, só apontando problemas e não ajudar na solução, isso também é muito fácil é muito cômodo fazer! 

Mas eu vejo assim, independente da posição nunca distingui ninguém, nunca persegui ninguém por discordar dos meus pensamentos ou das minhas atitudes, mas tem pessoas que por exemplo nunca vieram aqui discutir os problemas de Rosário e aí agora no período eleitoral sobe nos palanques eletrônicos nos sites, nos grupos de WhatsApp e começam a agredir o governo, sem nunca ter discutido, nunca ter conversado. Então, existem oposições e oposições, é como eu te falei, eu respeito muita a oposição, mas tem oposições que são conveniência e oportunismo essas eu as recebo sempre com o pé atrás. Existem críticas construtivas e se existem críticas para denegrir imagem para falar das coisas de forma a diminuir ou depreciando as ações de governo, essas pessoas têm que entender que o governo, não é só o prefeito, são os vereadores que dão sustentação na câmera, são os secretários, os coordenadores, diretores, servidores efetivos e os contratados, todos esses fazem parte do governo. Muitas vezes a oposição quer agredir a figura do prefeito e esquece que tem trabalhadores que estão ali lutando, fazendo de tudo para o governo dê certo! Então acaba cometendo injustiça em relação à equipe de governo, uma coisa é você não gostar do prefeito, outra coisa e você criticar o que a gestão está fazendo de errado ou deixando de fazer algo. 

Pois são coisas diferentes, críticas construtivas, são críticas pontuais e a gente tem que entender, aceitar e corrigir, trabalhando para melhorar. Mas tem críticas que são descabidas, críticas de pessoas que não possuem nenhum tipo de conhecimento, falam da obra sem conhecer qual que é a história daquela obra, como que funciona de onde que vem o recurso, como é o sistema. Acha que é fácil sentar aqui e fazer as coisas acontecerem. Acho que não depende de um órgão federal ou da secretaria de Estado, quando chega lá a dinâmica muda, a velocidade muda. Você acha que é fácil? Muitas críticas são por falta de conhecimento. 

Mas a gente tem que reconhecer os erros e tentar trabalhar para melhorar.

ACONTECEMT - Que mensagem o senhor tem para a população rosariense em meio a essa pandemia? 

JOÃO BALBINO: É bom que continue acreditando, toda crise tem um fim, nada é eterno. Nós vamos sair desse momento de cabeça erguida, o município vem correspondendo vem melhorando, basta ver os comércios a 8 ou 10 anos atrás como que eram. Todo mundo investiu, todo mundo melhorou, as coisas estão acontecendo, estão melhorando. As empresas estão vindo para cá, por exemplo, o posto de gasolina, empresas crescendo e ampliando, gerando emprego. É um cenário que embora estejamos vivendo com certa insegurança e instabilidade, mas nós temos um Horizonte lá na frente, Rosário está melhorando, está cada vez melhor e vai continuar cada vez cada vez melhor. 

Eu quero dizer o seguinte para população rosariense, eu não fiz tudo àquilo que sonhei ou que gostaria de ter entregado nos oito anos, mas certamente pude ajudar o município. 

Eu tenho a consciência de que eu fiz tudo àquilo que estava no meu alcance. Tudo que eu podia fazer juntamente com a minha equipe de governo e servidores, nós fizemos. Como eu disse anteriormente, gostaríamos de ter feito muito mais para população. 

A população merece muito mais, mas estou feliz de concluir mais um ciclo da minha vida e encerrar o mandato, voltar para as minhas atividades e cuidar melhor da minha família, dos meus filhos e me dedicar à advocacia que é outra paixão que eu tenho além da política e tocar minha vida. Vou ficar na torcida sincera de que a população escolha o melhor para o nosso município nessas eleições, tanto para vereador como prefeito. E quem entrar independente de quem seja, conte com as minhas orações, com a minha torcida e se precisar da minha ajuda estarei a disposição de forma sincera. Que seja feita a vontade de Deus e que Deus nos ajude. 

“O principal foco desta gestão é cuidar das pessoas, através da ação social. Esse governo não só fez obras ou construiu pontes. Mas procurou cuidar das pessoas, não deixando faltar médicos e remédios”. Finaliza o prefeito João Antônio Balbino. 

Redação - AconteceMT



Postagem Anterior Próxima Postagem