“Eu não entro nesse jogo midiático”, diz governador sobre compra de vacinas contra Covid-19


Ao contrário de lideranças estaduais como de São Paulo e do Paraná, o governador de Mato Grosso afirmou que não entrará na “corrida midiática” para compra de vacinas contra a Covid-19, e que deixará a responsabilidade com o Ministério da Saúde e o Governo Federal. “Eu vou fazer minha lição de casa”, disse.

A declaração foi dada no evento de 30 dias do lançamento do Centro de Triagem da Arena Pantanal. “É uma corrida midiática. Esse caso da Rússia, estranho, o cara lança lá e no mesmo dia o outro manda mensagem querendo comprar... estranho”, afirmou o democrata, em relação ao governador Ratinho Junior, que assinou um convênio com o Instituto Gamaleya, da Rússia, para testagem e transferência de tecnologia para produção e distribuição da vacina no Paraná.

Segundo Mauro, o trabalho de compra e distribuição de vacina deve ficar para o Ministério da Saúde. “Deixa pros grandes estados que gostam dessa competição. Eu
acredito no trabalho do Ministério, acredito no nosso presidente Jair Bolsonaro, podemos discordar como cidadãos, mas não podemos reclamar do trabalho dele”, afirmou.

Além de Ratinho Junior, o governador João Dória, de São Paulo, afirmou recentemente que a vacina chinesa, ‘Coronavac’, pode estar disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS) daquele estado já em dezembro de 2020.

“O governo de Mato Grosso está num caminho que é possível. A vacina tem protocolos internacionais que estão vigentes ha décadas no mundo, tem as fases 1, 2, 3. Temos algumas vacinas na fase 3, de grandes institutos do Brasil, e é o Ministério que tem que liderar isso. Eu, como governador de Mato Grosso, vou fazer minha lição de casa, e deixar essa questão se liderada pelos grandes institutos”, finalizou Mauro Mendes.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem