Mãe diz que Isabele se afastou de amiga após autora do disparo iniciar namoro com adolescente


Patrícia Helen Guimarães Ramos, 44 anos, mãe de Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, morta após um disparo – supostamente acidental – no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá, no mês passado, contou que a amizade da vítima com a autora do tiro teria se enfraquecido após a amiga começar a namorar. Para a mãe, ela classificou o relacionamento entre ambos como ‘tóxico’. 

Em seu depoimento, Patrícia contou que a amizade entre Isabele e a autora do disparo se fortaleceu bastante há cerca de dois anos. Ela inclusive citou situações em que uma ajudou a outra em questões pessoais. Desde o início da pandemia, elas teriam se aproximado e frequentavam uma a casa da outra.

A vítima relatou para a mãe que gostava de ir até a casa da amiga porque lá era mais movimentado. Porém, Isabele contou para Patrícia que a autora do disparo começou a mudar desde o fim do ano passado, quando engatou namoro com um adolescente de 16 anos, dono da arma que disparou. Ela teria ficado mais distante.

Com o início do namoro da autora do disparo com o adolescente, Isabele teria ficado mais próxima da irmã gêmea dela. Isabele ainda contou para sua mãe que o relacionamento da autora do disparo com o namorado seria ‘tóxico’, já que ele era muito ciumento e possessivo.

Patrícia ainda disse que Isabele não tinha namorado e que era heterossexual. Além disto, disse que via nos contatos de sua filha conversas em redes sociais com meninos adolescentes e desconhece sobre brigas entre a vítima e a autora do disparo.

Ainda segundo o depoimento da mãe, Isabele era uma pessoa amável e não se envolvia em conflitos. Ela disse saber que a família Cestari era praticante de tiro esportivo, mas pontuou que não sabia da livre circulação de armas pela casa, já que não existia relação de amizade entre eles, apenas das menores.

O caso

Segundo informações da Polícia Judiciária Civil, por volta das 22h30 Isabele já foi encontrada sem vida no banheiro da casa. A amiga informou à Polícia que efetuou o disparo acidentalmente contra a colega.

Isabele morreu com um tiro na cabeça (entrou na região da narina e saiu pela nuca), efetuado pela amiga ao manusear uma pistola PT 380, dentro do condomínio Alphaville I, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

A amiga de Isabele disse que o disparo foi acidental, pois no primeiro momento a arma, que pertencia ao pai do namorado dela, caiu e ao tentar recoloca-la no case, ela disparou e matou Isabele na hora.

Indiciamento

A Polícia Judiciária Civil indiciou, por posse irregular de arma de fogo, o empresário Marcelo Cestari, pai da adolescente que matou, com um tiro – supostamente acidental – a amiga Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá. O inquérito estava na 2ª Delegacia do Planalto (Carumbé) e foi coordenado pelo delegado Jefferson Dias Chaves.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem