Mauro Mendes discorda de apoio dos Campos a Nilson Leitão: "precisam respeitar o DEM"


O governador Mauro Mendes (DEM) preferiu não polemizar a divisão interna do partido, com membro da sigla indo em caminhos diferentes quando o assunto é apoio na eleição suplementar do Senado. Em coletiva na Arena Pantanal, Mauro pediu respeito aos irmãos Campos e lembrou que qualquer decisão tem de ser tomada em conjunto. 

"Respetio nosso senador Jayme Campos, nosso ex-governador Júlio Campos, respeito a todos. Mas eles precisam respeitar também o Democratas. Nem eles, nem eu, nem o Fabinho Garcia, que é o presidente, pode decidir isso. Isso é uma decisão do Diretório. Quem vai decidir com quem vai coligar é o Diretório Estadual do Democratas, que tem mais de 70 membros. Esses membros precisam ser respeitados. Não é uma decisão minha ou do presidente do partido, como não é também da família Campos", disse o governador.

O recado de Mendes é direcionado aos irmãos Campos, principalmente porque Jayme e Júlio, acompanhados do deputado Dilmar Dal Bosco, resolveram declarar apoio ao candidato Nilson Leitão (PSDB). Inclusive, em evento num hotel de Cuiabá esta semana, Leitão anunciou Júlio como seu primeiro suplente na disputa pela vaga suplementar.

Antes do evento, Júlio Campos disse que não era uma situação de "pedir" para o diretório do DEM a liberação para eles apoiarem o Leitão, mas sim uma comunicação. "Temos mais de 40 anos de partido. Não é questão de pedir, mas sim de comunicar. E estamos comunicando que estamos com o Nilson", avisou Júlio. 

Ainda na coletiva desta sexta-feira (20), Mendes disse que não tem nada cogitado sobre esse deixar o partido, mas que também a sigla não está rachada, mas é normal cada um ter uma opinião. 

"O DEM encorporou a mania do Mauro Mendes, decide tudo de última hora. Cada membro do partido tem suas estratégias. Primeiro, se chama partido. É uma parte da sociedade, que representa uma parte do pensamento da sociedade. Mas, vamos marcar uma reunião em breve para decidir sobre os apoios no que tange a vaga do Senado", comentou o governador.

Sobre o nome do candidato que poderá receber seu apoio, entre os nove pré-anunciados, o Mendes lembrou apenas de Carlos Fávaro e Otaviano Pivetta (PDT). "São pessoas de minha confiança. Pivetta meu amigo há muito tempo. Merece meu respeito por ser um homem de trabalho prestado, assim como o senador Fávaro, mas não decidi ainda sobre quem apoiar. Vamos aguardar a reunião", concluiu.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem