Taques nega desejo em disputar eleições e brinca sobre rumores: 'sou um sem voto, sem terra, sem soja'


O ex-governador Pedro Taques (SD) negou, em conversa com o Olhar Direto nesta semana, que esteja pensando em participar das eleições que ocorrerão em novembro deste ano. Os rumores foram levantados após entrevista do deputado Dr. Leonardo (SD), em que exaltou o currículo do ex-tucano e disse que Taques poderia ser candidato, se assim desejasse, tanto para o Senado como para a Prefeitura de Cuiabá.
  
“Tenho sido mais prego do que martelo”, brincou Pedro Taques, ao ser questionado pela reportagem se já havia se decidido sobre o assunto. “Estou tratando da minha vida, trabalhando, cuidando da minha família... sou um sem voto, sem terra, sem soja”, acrescentou o ex-governador, encarando os rumores com bom humor.
 
Taques voltou a virar pauta no meio político ainda no ano passado, após a confirmação da cassação da ex-senadora Selma Arruda (PODE). Com um histórico de boa atuação quando foi senador, seu nome passou a ser cotado como possíveis substitutos da ex-parlamentar, que perdeu seu mandato por crimes de caixa 2 e abuso de poder econômico.
 
O ex-governador nunca admitiu a pretensão em se candidatar. No início deste ano, porém, se viu envolvido numa crise no ninho tucano. Na época, o então presidente do PSDB de Mato Grosso, Paulo Borges, disse que havia sido procurado por Taques e que ele gostaria de concorrer à vaga ao Senado, mas que o partido tinha decido apoiar a candidatura de Nilson Leitão.
 
O conflito interno resultou na desfiliação de Taques do PSDB, partido onde militava desde 2015. Pouco depois ele foi filiado ao Solidariedade. Na ocasião, com a data da eleição suplementar marcada para abril, novos rumores deram conta de que o ex-governador havia consultado a Justiça Eleitoral para saber se poderia participar do pleito, tendo em vista sua recente mudança sigla. Novamente, ele não comentou o assunto.
 
Com a suspensão da eleição suplementar em razão da pandemia do coronavírus, Taques estaria, agora, apto a concorrer à vaga deixada por Selma. Além disso, diante da possibilidade de disputar, ainda, cargo de prefeito, o nome do ex-governador voltou a circular nas rodas de política do Estado.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem