Dome vibra com vitória, elogia Gabigol e explica artilheiro no banco: "Uma decisão técnica"

Dome orienta Gabigol na vitória sobre o Fortaleza — Foto: André Durão

Técnico optou por deixar o camisa 9 entre os reservas, mas ele entrou no intervalo e, no finzinho, fez o gol que deu a vice-liderança ao Flamengo


Por Redação ge — Rio de Janeiro


A vitória por 2 a 1 sobre o Fortaleza, a terceira seguida do Flamengo, deixou a equipe na vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Satisfeito com o resultado, o técnico Domènec Torrent deu entrevista após a partida e foi questionado por sua decisão de deixar Gabigol no banco e colocá-lo no intervalo. O atacante foi o autor do gol da vitória, no finzinho.



Apesar de elogiar o camisa 9, Dome disse que quis dar mais uma oportunidade para Pedro, já que tinha gostado da atuação do centroavante contra o Bahia. O técnico afirmou ainda que ninguém vai atuar em todas as partidas. Gabigol deixou o campo esbravejando e não deu entrevista.

- Foi uma decisão técnica. Mas é normal. Ninguém é mais importante do que o grupo. Estamos felizes com o Gabi. É nosso artilheiro, mas o Pedro também jogou muito bem. Quando analisei o Fortaleza, decidi manter o Pedro porque estava feliz com a atuação dele. Gabi nos ajudou muito saindo do banco. É um ganhador. Mas nem ele nem ninguém vai jogar todos os jogos. Nem Rodrigo, nem Filipe... porque não vão estar 100% - disse Dome.



Ainda sobre a rotação do elenco, Domènec disse confiar em todos e lembrou da maratona de jogos do Flamengo. Para o clássico com o Fluminense, na próxima quarta-feira, ele comemorou o fato de ter quatro dias até o duelo.

- É complicado jogar a cada três dias. Pela minha experiência nos últimos 11 anos, fizemos esse rodízio. Vão jogar todos. Nosso elenco é equilibrado. Próximo jogo será em quatro dias, e quando isso acontece dá pra usar 80%. Em três dias, quase impossível. Os atletas não rendem.

Outros trechos da entrevista de Dome:

Posição em que prefere escalar Gabigol

Acho que pode jogar em duas posições, mas para mim é melhor que jogue como um número 9, mas ele sabe que tem a liberdade para jogar e pode ficar mais aberto quando precisar. Prefiro quando joga mais pelo centro. O gol que marcou hoje foi assim. Atacante puro.

Primeira vitória no Maracanã

Vibrei muito porque estávamos com dez jogadores (Pedro Rocha se machucou e todas substituições tinham sido feitas). Falei com o técnico do Fortaleza (Rogério Ceni) que jogaram muito bem, organizados. Muito posicional, sabem o que fazem. Também por isso fiquei feliz pela vitória. Acho que merecemos, tivemos mais chances e lutamos até o fim. Isso é Flamengo. Lutar até o último segundo.

Evolução tática do time

Pouco a pouco. Hoje completo um mês no Brasil. São muitos jogos e poucos treinos. Mais recuperação. O melhor ainda vai acontecer em um mês, dois meses. Mas estamos melhores a cada dia.

Mudanças de técnico no Brasil

Muitas vezes não são justos com os treinadores. Eu disse que precisávamos de tempo, todos precisam. Muitas vezes se ganha o jogo e não sabe o motivo. Muitas vezes se perde o jogo mas joga bem. Se tem paciência, muitas vezes esse técnico vai ganhar. Aqui se não ganha dois jogos, é ruim. Não entendo. É importante para o treinador tem dirigentes inteligentes. Se for só pela torcida ou pela imprensa, tem um problema.

Elogios ao profissionalismo de Diego

Tem 35 anos e sempre que entra em campo é a 100%. Nunca se queixa de nada. Isso é um tesouro para um técnico. Quando joga, ajuda. É um líder no vestiário. Se joga cinco minutos, joga focado. Está pronto para ajudar, isso é o mais importante.

Avaliação sobre Isla

Acho que pouco a pouco. Em duas semanas estará em uma forma ótima. Último jogo na Turquia tinha sido em março. Quer jogar sempre, mas temos que ir aos poucos. Próxima partida é em quatro dias, vai poder atuar. Mas também fiquei feliz com Matheus. Vamos sempre conversar com os atletas, com o médico...
Postagem Anterior Próxima Postagem