JOÃO DE DEUS PANTANEIRO: Oito mulheres denunciam advogado por estupro, agressão e ameaça de nudes em Cuiabá; OUÇA Áudio!




                                            





OUÇA ENTREVISTA DAS MULHERES

Em relato a rádio, duas vítimas contaram momentos de terror que passaram ao lado de famoso jurista

FOLHA MAX


Uma grave denúncia deve abalar o meio jurídico mato-grossense nos próximos dias. Segundo a Rádio Nativa FM, de Cuiabá, um renomado advogado no Estado é acusado de agredir, estuprar e ameaçar, pelo menos, oito mulheres.

LEIA MAIS: CONFUSÃO NO MANSO: Médico nega agressão e chama advogado de psicopata e espancador de mulheres

Segundo as próprias vítimas, o número pode ser bem maior. Até o momento, oito já registraram a denúncia junto à Polícia Civil e outras podem surgir com a divulgação do caso. 

Uma das vítimas participou ao vivo durante o programa e, por telefone, disse que passou por várias agressões físicas e psicológicas. Ele contou ainda que chegou a ser enforcada e desmaiou durante uma das agressões. 

“A gente cai na lábia dele através da conquista. Eu cheguei a morar com ele. Tive vários tipos de doenças e sofri todo tipo de violência, inclusive agressões sexuais, xingamentos e ameaças de morte”, contou.

Diante de tudo que viveu ao lado do advogado, a vítima sofreu transtornos alimentares e perdeu 9 kg. “Você perde sua identidade, não consigo acreditar que vivi e passei por isso. Ele tentou me paralisar por meio de violência psicológica e ameaças”, continuou.

Para manter o controle da situação e posar de bom moço, o advogado ainda registra boletim de ocorrência contra as vítimas. Segundo elas, as acusações são falsas e visam protege-lo em caso de denúncia. “Precisei de acompanhamento psicológico e psiquiátrico”.

Foi então que resolveu tornar o caso público e passou a escrever nas redes sociais. “E depois que comecei a postar a história um batalhão de mulheres me procurou para dizer que também sofreram agressões da parte dele”.

A vítima contou que chegou a conviver com o advogado agressor por cinco meses. Por fim, ela disse que ele se utiliza do status social de advogado bem sucedido em Cuiabá para coagir as vítimas e manter uma imagem de pessoa incapaz de fazer o que foi denunciado. “Se você perguntar se as vítimas têm medo de morrer, todas têm. E ele cerca a sua vida, a sua família, fica sabendo de tudo. Ele soube que ia viajar para fora do Brasil e disse que eu poderia ir, mas que lembrasse que tenho pais que ficariam aqui”.

Uma segunda vítima também participou do programa. Inclusive, ela já tem um processo na justiça contra o agressor. Ela contou que passou por situações semelhantes à da primeira vítima.

E ainda foi além. Disse que o advogado ameaçava expor a vida íntima dela, com publicação de nudes, caso registasse uma denúncia. 

Na sequência, comparou a situação que viveu a outro episódio famoso no Brasil inteiro. “Quando isso estourar na mídia, vai ser igual ao caso ‘João de Deus”, vai aparecer vítimas de todos os lados”, comentou.

A segunda vítima relatou que morou cerca de seis meses com o agressor e ela, inclusive, denunciou o caso logo após a separação, há cerca de três anos. Ela contou que antes de fazer a denúncia, já havia uma denúncia anônima contra o advogado, entretanto, a vítima, por medo, na época, negou que era agredida.

“Eu apanhei porque alguém fez uma denúncia anônima. Achando que eu quem tinha feito, ele me bateu. E quando fui chamada na delegacia para prestar esclarecimento de uma denúncia que eu não tinha feito, eu fui acompanhada do advogado dele e fui ameaçada”, relatou.


Postagem Anterior Próxima Postagem