Nova vítima de advogado denuncia tentativa de estupro durante entrevista de emprego


A Polícia Civil investiga mais um caso de tentativa de estupro envolvendo o advogado Cleverson Campos Contó. Desta vez, o crime teria ocorrido em 2012, quando a vítima participava de uma entrevista de emprego com o acusado. A mulher revelou que resolveu denunciar o episódio após ver o relato de outras vítimas.

Leia mais:

Segundo notícia-crime feita pelo advogado Eustáquio Neto, a vítima trabalhou com o advogado em um escritório onde ele alugava uma sala comercial. Neste período, ambos tiveram várias desavenças por conta de problemas relacionados ao local.

Anos depois, no início de 2018, a vítima encontrou Cleverson em um supermercado da Capital. Na ocasião, o advogado perguntou se a mulher estava trabalhando, pois precisaria de uma secretária em seu escritório com urgência.

A vítima então disse que ela e seu marido estavam desempregados. Com dois filhos para sustentar, ela aceitou ir no dia seguinte ao escritório do advogado em um edifício na avenida Historiador Rubens de Mendonça.

Na manhã do dia seguinte, a mulher compareceu na entrevista de emprego e foi recebida pelo advogado que estava sozinho. Inicialmente, a conversa era relacionada aos horários de trabalho e remuneração.

Contó chegou a dizer que a vítima estava “praticamente contratada”. Entretanto, em determinado momento, o advogado teria se levantado, passou a acariciar o ombro da vítima e disse que ambos precisariam “fechar o ciclo”.

Nervosa, a vítima disse que “não havia ciclo nenhum e que isso era coisa da cabeça dele”, descreve a notícia-crime. Ela ainda relembrou que os dois não tinham um bom relacionamento e tiveram muitas discussões por conta do trabalho. Além disso, pontuou que era casada.

Inconformado com a recusa da vítima, Cleverson teria enfiado a mão na roupa dela em uma tentativa de estupro. A mulher conta que, em pânico, conseguiu se desvencilhar e correu em direção da porta. A vítima disse que só ficou calma quando se aproximou do elevador e viu que não estava sendo seguida.

Á época do crime, a mulher não contou sobre o ocorrido a ninguém, nem mesmo ao marido. Ela afirmou que só teve coragem após relato de outras vítimas do mesmo homem e do atual empregador.

Na última sexta-feira (11), a delegada Jozirlethe Aparecida Magalhaes colheu depoimento da vítima na Delegacia Especializada da Defesa da Mulher de Cuiabá, que investiga o caso. 

Nas últimas semanas, Contó foi acusado de diversas agressões e estupro. Os episódios ganharam repercussão após entrevista de duas das vítimas à Rádio Nativa FM. Na ocasião, uma delas disse ter desmaiado. 

Outro lado 

Procurado pelo Olhar Direto, o advogado que faz a defesa do colega de profissão, Eduardo Mahon, considerou o episódio uma “cantada fracassada” e que é preciso investigação das autoridades.

“Me parece pelo que vi na imprensa, na narrativa foi uma cantada no mínimo constrangedora, que foi fracassada. Na tentativa de estupro, a pessoa começa com os atos executórios, constrangimento físico, trancar a porta, enfim, vai para cima mulher. Mas é um fato tão distante e me parece que carente de provas. Isso está me sugerindo mais um recrutamento do que um fato palpável. É preciso que as autoridades investiguem e nós estamos à disposição”.


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem