ROSÁRIO OESTE: Dono de Frigorífico revela que chegaram a pedir R$ 5 milhões por coligação


 

O pré-candidato ao Senado pelo Partido Social Cristão (PSC), empresário Reinaldo Morais, mais conhecido no meio popular como "Rei do Porco", disse em entrevista ao Olhar Direto que durante o início da pré-campanha ele se reuniu com diversos partidos e foi surpreendido com a maneira que a maioria dos que pregam "a nova política" chegavam para pedir estrutura.



Essa estrutura, conforme Reinaldo, é uma forma mais sutil de pedir dinheiro e condições financeiras para formar coligações e chapas. O empresário disse que teve político que é presidente de partido que lhe pediu até R$ 5 milhões para poder fazer composição e estar na mesma chapa que ele durante a eleição suplementar para o cargo de Senador, que ocorrerá junto com a eleição municipal, em 15 de novembro.


"Quando se ouve a palavra estrutura no meio político, compreenda como gasolina, material gráfico, cabo eleitoral, dinheiro para comprar liderança. Propostas indecorosas que nos envergonham. Teve candidato a vereador que me pediu R$ 300 mil, partidos políticos pediram R$ 3 milhões, R$ 1,5 milhão, R$ 5 milhões. É coisa vergonhosa. Isso me dá indignação, me tira do sério. Dá vontade de vomitar", revelou.


Reinaldo declarou nesta quinta seu patrimônio ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). Atualmente ele é o mais rico entre todos os candidatos que já declararam seus bens. Estreante em eleições em Mato Grosso, o empresário declarou ter um total de R$ 158, 2 milhões em bens à Justiça Eleitoral. Na lista aparecem participações em várias empresas, apartamentos imóveis, além de lancha, avião, um porsche e uma Harley Davidson.


Ainda durante a vista ao site Olhar Direto, Reinaldo justificou tudo isso como fruto de seu trabalho por mais de 43 anos durante sua vida e que não vai se sujar para fazer doações para ninguém e nem usar fundo partidário.


"O meu patrimônio foi conquistado de forma lícita. Não vou gastar 1 centavo de forma ilícita. E se isso acontece com outros partidos é porque chegou de forma fácil. E o que chega fácil, vai fácil. E eu sei que princípios e valores estão acima do dinheiro. Me chamaram de mão de vaca, de pão dura é porque eu sei o quanto custa. E eu não vou me sujar por conta disso", comentou o pré-candidato.


Por último, Reinaldo afirmou que o motivo de estar apenas com o PRTB coligado em sua chapa é porque essa foi a única legenda que não lhe pediu nada. Nem mesmo a famosa estrutura.


"Vamos ser sinceros. Se você quiser ter acesso, e terá, tem tudo filmado, na convenção que nos lançou como pré-candidato eu falei que nós estávamos lá com o PRTB único partido que nós coligamos porque foi o único que não usou a palavra estrutura. Quando você fala em estrutura, você imagina tudo que está por trás dessa palavra. Tudo que está por trás da velha política se resume na palavra estrutura. O PRTB foi o único que não pediu, que veio por acreditar naquilo que nós defendemos. Tive conversa com muitos líderes, com muitos pré-candidatos e com muitos partidos, mas infelizmente a frase que eu mais ouvi foi: qual é a estrutura que você vai trazer?", concluiu.


Reinaldo Moraes é natural de Maringá, no Paraná, tem 49 anos e é empresário em Mato Grosso há 11 anos. Ele possui uma granja de suínos em Diamantino e frigoríficos em Tangará da Serra, Várzea Grande e está construindo seu maior empreendimento em Rosário Oeste, que deve empregar na quarta fase da obra cerca de 5 mil pessoas direta e indiretamente.


Seus suplentes são Gilberto Cattani (PRTB) e Nelis Farias (PSC). O primeiro é produtor rural da agricultura familiar e o segundo e empresário na cidade de Rondonópolis (distante 212km de Cuiabá).


Postagem Anterior Próxima Postagem