Saída de Júlio Pacheco para apoiar Emanuelzinho causa desconforto no DEM e Jayme marca reunião


 

A saída de Júlio Pacheco (DEM) do grupo que apoia a campanha de Kalil Baracat (MDB) causou um certo desconforto à presidência do Democratas em Várzea Grande e principalmente para o senador Jayme Campos e sua esposa, atual prefeita da cidade, Lucimar Campos. 


Leia mais:
Ala do DEM cobra protagonismo e defende recuo de última hora em aliança com Roberto França

Júlio foi o primeiro do DEM que não concordou com o partido ter apenas um vice-prefeito e acabou deixando grupo. Com a saída, ele logo escolheu que irá apoiar Emanuel Pinheiro Neto, o popular Emanuelzinho (PTB), que também concorre ao cargo de prefeito. 

No dia da convenção do DEM, em que o partido lançou Kalil prefeito e José Hazama de vice-prefeito, era notório que os quadros da sigla estavam totalmente desconfortáveis com a escolha, feita quase monocraticamente pelo senador Jayme Campos, que colocou "culpa" em uma pesquisa eleitoral para credenciar Kalil como o melhor avaliado. 

Por conta disso, Julio Pacheco, que estava entre os membros do Democratas cotados para poder ser candidato a prefeito não foi escolhido e nem consultado sobre o apoio a Kalil, por isso debandou do partido e causou um verdadeiro desconforto entre os presidentes da sigla. 

Após a saída de Pacheco, Juarez Toledo Pizza foi convocado na Prefeitura de Várzea Grande para tratar algumas estratégias com Jayme e Lucimar e evitar novas saídas do grupo. 

O presidente da Câmara da cidade, Fábio Tardin, disse que continua com o grupo e acredita que novos nomes não deve deixar os quadros para apoiar outros candidatos. 

Kalil, candidato do grupo, inclusive já trabalha com a equipe de Marketing, comandada pelo jornalista Kleber Lima. Por enquanto, o plano de trabalho é mostrar o que o grupo já fez e o que pode ser feito de melhor pela segunda maior cidade de Mato Grosso. 

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem