CUIABRASA: Termômetros de rua marcam 50 graus, em Cuiabá





Medições são feitas na sombra, dentro de um abrigo de madeira.


G1 MT



Cuiabá bateu dois recordes históricos de calor em um intervalo de três horas nessa quarta-feira (30). Às 14h a capital registrou 43,7°C. Já às 17h os termômetros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) marcaram 44°C, estabelecendo um novo recorde de calor desde dezembro de 1910, quando começaram as medições.

As medições são feitas na sombra, dentro de um abrigo de madeira. Segundo o Inmet, em termômetros de rua, os registros chegam aos 50°C.

O instituto informou que até domingo (4) as temperaturas devem variar entre 40°C e 43°C. A capital vem tendo um setembro histórico por causa do calor extremo. A temperatura foi igual ou maior do que 40°C em 19 dos 29 dias do mês.

Em sete dias de setembro, a temperatura passou dos 42°C em Cuiabá.

O climatologista e doutor em meteorologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Rodrigo Marques explica o motivo deste calor extremo.

"Nós temos, no nível médio, na troposfera, um anticlone que sopra um vento seco de cima para baixo. Conforme esse vento desce, ele se comprime e se aquece ainda mais", afirma.

Cuiabá segue sem previsão de chuva regular até o dia 15 deste mês. De acordo com o Inmet, podem ocorrer chuvas rápidas e isoladas.

Queimadas

Além do calor excessivo, moradores da capital sofrem com a fumaça das queimadas vindas do Pantanal e o tempo seco.

Em Cuiabá, a umidade relativa do ar deve variar entre 10% e 25% nos próximos dias. Desde o início do mês passado, os dias têm amanhecido com o céu encoberto pela fumaça.

Três meses antes de terminar, 2020 já é o ano com o maior número já visto de focos de incêndio no Pantanal: de 1º de janeiro até 30 de setembro, foram 18.259 focos. Antes disso, o maior número havia sido registrado ao longo de todo o ano de 2005: 12.536. A alta é de cerca de 46%.
Postagem Anterior Próxima Postagem