ELIMINATÓRIAS DA COPA: Neymar faz três, passa Ronaldo, e Brasil vence o Peru por 4 a 2


 


CBF

CBF

A terça-feira, dia 13 de outubro de 2020, ficará para sempre na memória de Neymar. O camisa 10 marcou três gols e conduziu a virada do Brasil para cima do Peru, por 4 a 2. Além disso, agora com 64 gols, ele ultrapassou Ronaldo Fenômeno como segundo maior artilheiro da história da seleção brasileira.

 

Apesar da vitória, o jogo foi mais difícil do que todo mundo imaginava. O Brasil ficou duas vezes atrás do placar, mas conseguiu a virada nos minutos finais e manteve os 100% de aproveitamento nas Eliminatórias apra a Copa do Mundo do Qatar, em 2022. Com seis pontos, a equipe divide a liderança com a Argentina, que também venceu os dois jogos.

 

Leia também - Invicto na Arena Pantanal, Cuiabá derrota a Ponte Preta

 

As duas seleções voltam a atuar pela competição em novembro. Enquanto os comandados de Tite recebem a Venezuela no Morumbi, no dia 14, o Peru joga fora de casa contra o Chile dois dias antes.

 

Peru sai na frente

 

Logo nos primeiros lances, já ficava claro que o Brasil não teria a mesma facilidade que teve contra a Bolívia. Tanto é que logo aos 5, o Peru saiu na frente. Marquinhos foi mal ao afastar uma bola e Carrillo pegou de primeira, marcando um belo gol.

 

E realmente não era o dia de Marquinhos. Poucos minutos após falhar no gol peruano, o zagueiro se machucou e teve que ser substituído por Rodrigo Caio.

 

Brasil melhora
Coincidência ou não, a seleção brasileira passou a dominar a partida. No lance seguinte, Richarlison ajeitou de cabeça e Roberto Firmino bateu firme. Gallese fez ótima defesa.

 

Gol histórico
Aos 25, pênalti para o Brasil. Neymar foi puxado dentro da área e o juiz marcou. Na cobrança, o camisa 10 mostrou muita categoria para empatar o jogo e igualar Ronaldo Fenômeno na vice-artilharia da seleção brasileira, com 62 gols. O líder é Pelé, com 77.

 

No lance seguinte, Neymar marcou mais uma vez, mas a arbitragem flagrou impedimento de Richarlison no início do lance.

O Brasil voltou a ter boa chance aos 40, em cabeçada de Firmino que passou perto do gol.

 

Peruanos voltam melhor. E marcam...

 

Se a equipe brasileira estava melhor na parte final da primeira etapa, o cenário mudou completamente na segunda. Logo aos 5, Trauco finalizou cruzado e Weverton fez boa defesa.

 

Mas aos 13, não deu para o goleirão. Tapia arriscou de longe, a bola desviou em Rodrigo Caio e morreu dentro do gol.

 

Tudo igual
Mas a festa dos peruanos durou pouco. Aos 19, Neymar bateu escanteio da esquerda, Firmino cabeceou e Richarlison chegou para conferir. O gol foi confirmado após bastante demora, já que a imagem estava sendo revista no VAR.

Virada. Na categoria de Neymar

 

O VAR, aliás, foi personagem mais uma vez no lance que decretou a virada brasileira. Em belo contra-ataque, Richarlison acionou Everton Cebolinha. O ex-jogador do Grêmio cruzou na medida para Neymar, que foi derrubado na hora da finalização. Pênalti, confirmado mais uma vez após consulta ao árbitro de vídeo.

 

Na cobrança, Neymar voltou a mostrar categoria e, deslocando Gallese, fez 3 a 2 para o Brasil. Foi o 63º gol do agora vice-artilheiro isolado da história da seleção.

 

Aos 43, Zambrano foi expulso, após acertar cotovelada em Richarlison.

 

E ainda daria tempo para mais um de Neymar. Já nos acréscimos, o camisa 10 aproveitou a sobra após chute de Everton Ribeiro na trave e definiu a vitória brasileira.

 

PERU 2 x 4 BRASIL

 

Competição: Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar, 2ª rodada
Local: estádio Nacional de Lima, no Peru
Data/Hora: 13 de outubro de 2020 (terça-feira), às 21h
Árbitro: Julio Bascuñan (CHI) Assistentes: Jose Retamal e Raul Orellana (ambos do Chile)
VAR: Piero Maza (CHI)
Cartões amarelos: Renato Tapia, Christofer Gonzáles (Peru)
Cartão vermelho: Zambrano (Peru)

 

GOLS: Carrillo, aos 5/1ºT (1-0), Neymar, aos 27/1ºT (1-1), Renato Tapia, aos 13/2ºT (2-1), Richarlison, aos 19/2ºT (2-2), Neymar, aos 37/2ºT (2-3), Neymar, aos 48/2ºT (2-4)

 

PERU: Pedro Gallese; Advincula, Zambrano, Luis Abram e Trauco; Renato Tapia (Cueva), Pedro Aquino, e Yotún; Christofer Gonzáles (Miguel Araujo), Carrillo e Farfán (Andy Polo). Técnico: Ricardo Gareca

 

BRASIL: Weverton; Danilo, Marquinhos (Rodrigo Caio), Thiago Silva e Renan Lodi (Alex Telles); Casemiro e Douglas Luiz; Richarlison, Philippe Coutinho (Everton Ribeiro) e Neymar; Roberto Firmino (Éverton Cebolinha). Técnico: Tite

Postagem Anterior Próxima Postagem