Emanuelzinho diz que governador não mexeu ‘um pauzinho’ para resolver questão do VLT




O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o ‘Emanuelzinho’, que também é candidato à prefeitura de Várzea Grande, criticou a atuação do governador Mauro Mendes (DEM) em relação à questão do VLT. Segundo ele, Mendes, em dois anos de mandato, ‘não mexeu nem um pauzinho’, e não há vontade política para resolver o problema.


“Já passou a antiga gestão do governo do Estado, veio a gestão do governador Mauro Mendes, já tem dois anos, não se mexeu um pauzinho. Ali você tem judicialização, estudo técnico sobre viabilidade da tarifa, se vai precisar de subsídio, o que vai precisar gastar para concluir... então não vejo vontade política”, afirmou o candidato. Segundo Emanuelzinho, caso ele seja eleito e perceba que não há essa vontade política, vai optar por revitalizar a FEB.

O candidato afirmou que não é contra a conclusão do VLT, mas somente se isso não for prejudicial ao erário de Várzea Grande. “Se o governador quiser jogar nas costas de Várzea Grande, quiser falar que Várzea Grande tem que colocar recursos que não tem, aí eu sou contra. Caso contrário, se o governo assumir e me quiser como parceiro, como prefeito de Várzea Grande, vou fazer. Agora, o ideal, meu ponto, se não for terminar, é então fazer a revitalização da FEB, aumentando, criando mais uma pista tanto de ida quanto de vinda, porque daqui a dez anos, seis horas da tarde e sete horas da manhã você não vai ter como trafegar por ali”, declarou na noite da última quinta-feira (22), antes do debate realizado pelo site VG Notícias.

Segundo Emanuelzinho, o governador tem conversado com a Secretaria Nacional De Mobilidade Urbana, porém não divulgou as conclusões. “A tônica da conversa, pelas informações que tenho, era para transferência para o BRT, e nada impede a continuação do diálogo porque ele tem um secretário competente para isso, que pode continuar tocando as tratativas sobre o VLT, e que não impedem nada a saúde e nem a Covid-19. Até porque a complementação do recurso provavelmente deve vir do Governo Federal, inclusive eu apresentei uma PPA para concluir o VLT, uma emenda PPA para que pudesse ser concluído o VLT com recursos do Governo Federal. Não passou. Consegui aprovar sobre o Hospital da Família e sobre o Hospital Julio Muller, mas paciência. Não concordo com isso, acho que foi uma desculpa pela falta de vontade política”, afirmou, em relação à fala de Mendes de que não teria tratado a questão do VLT por estar se dedicando à saúde pública, em meio à pandemia.

Para o deputado, caso ele seja eleito prefeito, a relação do o Governo deve ficar no mais alto ‘republicanismo’. “Ele assumiu o governo do Estado e ele agora é responsável por isso, então eu vejo que falta essa vontade política do governador, e tanto o prefeito de Cuiabá quanto o prefeito de Várzea Grande dependem desse diálogo com ele. Então por isso que eu quero manter minha relação com o Governo do Estado no mais alto republicanismo para que a gente possa ter uma relação amistosa, e com isso Várzea Grande sai ganhando”, finalizou.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem