Gisela diz que quer substituir cargos comissionados com concurso e chamar nomes do cadastro reserva da educação

 


A candidata à prefeitura de Cuiabá Gisela Simona (PROS) já lançou sua chapa defendendo a realização de concurso público. Na época, ela afirmou que este processo seria necessário para que os servidores não fossem ‘chantageados’. Em entrevista ao Olhar Direto no último dia 30 de setembro, reiterou a promessa de campanha, afirmando ainda que a área que mais precisa deste processo seletivo é a saúde.




Leia também:
Gisela oficializa candidatura a prefeita e defende concurso para que servidor não seja “chantageado”

“Hoje a máquina de Cuiabá, a Prefeitura, tem mais de 20 mil servidores. Destes, metade, mais de 11 mil, estão entre contratados e comissionados. Dentro desse grupo de contratados, comissionados, nós acreditamos que é possível você substituir e fazer o concurso público. Eu vejo ele hoje principalmente na questão da saúde, que é a área hoje que mais precisa do concurso público, [porque é] onde nós temos um número muito grande de terceirizados”, afirmou.

Em seu programa de governo, protocolizado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gisela cita: “Concurso para profissionais da Atenção Básica, agentes comunitários de saúde, agentes de combate a endemias, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e de saúde bucal, acabando com o atual regime de contratos precários, que é mais caro e não supre a demanda de profissionais para o atendimento à população”.

Também está especificada a realização de concurso na atenção secundária, em especial para Psicóloga, Assistente Social, Psiquiatra e Técnicos, estudo de viabilidade de novo concurso público na rede pública de ensino municipal e concurso para cargos da Secretaria Municipal da Cultura.

A candidata ainda afirma a intenção de convocar os aprovados no último concurso da Educação, que estão no cadastro reserva. “Quando eu defendo o concurso público é exatamente para você poder capacitar esse trabalhador. Capacitar porque se você faz o contrato, e muitas vezes, como na educação, ano a ano você renova esse contrato, você acaba não tendo como fazer uma formação continuada desse servidor. Para que isso aconteça eu vejo a importância do concurso público e ter esse professor, de fato, qualificado, apto pra prestar o serviço, e não você estar contratado na Prefeitura, muitas vezes, porque você é amigo de alguém que te indicou e está ali fazendo o serviço”, finalizou.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem