Mauro promete entregar Hospital Central em 20 meses e critica poderes e antecessores por 36 anos de omissão


 

O governador Mauro Mendes (DEM) voltou a criticar de forma dura seus antecessores e principalmente os chefes de Poderes que estão alocados em prédios nas redondezas do esqueleto de obra do antigo Hospital Central e que nada fizeram por 36 anos para concluir aquela obra enquanto Cuiabá sofre com falta de atendimento público voltado para alta complexidade. 

PUBLICIDADE

Leia mais:
Mauro diz que Emanuel usa estratégia de comunicação ao entrar com ações: “O que eu falo é ancorado em fatos”

Em mais um discurso acalorado nesta manhã de quinta-feira (8), Mendes lembrou que o Palácio Paiaguás, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça estão a menos de mil metros da construção iniciada no governo Júlio Campos, nos anos 80, e ninguém teve a capacidade de investir ou investigar mal uso de dinheiro público para aquela obra ou porque não deram continuidade no projeto. 

"O meu compromisso para Mato Grosso é de trabalhar muito. E vamos entregar se Deus quiser o novo Hospital Central, que está parado. Na verdade, é hospital da vergonha. São sete andares erguidos a 500 metros do Palácio, a 300 metros do Palácio da Justiça, são mais de 35 anos de obras paralisadas. É saúde, gente. Entramos ano passado e tomamos uma decisão. Vamos terminar essa obra. A estrutura está bela e ainda aproveitável. Vai ser o maior e hospital público de Mato Grosso. Porém, é na administração pública e tudo demora. O cabra tem que ser macho, tem que saber mexer o doce senão não consegue fazer", disse o governador. 

Mauro ainda reforça que assim que recomeçada, a obra será para construção em 20 meses. E ele pretende entregar até o fim de seu mandato para não ter nenhum problema na continuidade da obra. 

"A obra do hospital é para 20 meses e são 9 mil metros de obra construída, mas parada. Faremos ali um novo hospital de alta complexidade. Não passamos o projeto para empresa terceirizada, nós mesmos fizemos. Vamos fazer todo esforço para que o hospital seja entregue, não por ser dentro do mandato, mas para não ter problemas futuros. São sete andares e a estrutura está 100% na integralidade, isso mostrado em laudo por profissionais. O prédio está pronto. Era um hospital pequeno, para o público de 36 anos atrás. Ele será 100% reaproveitado, readequado e ampliado e será 32 mil metros quadrados", disse Mauro.

O governador ainda confirmou que 15 empresas entraram no processo de licitação para construção da obra, sendo uma de Mato Grosso e 14 de outros estados. Antigamente, conforme Mendes, as empresas corriam de trabalhar no estado por conta da fama de propinas e falta de orçamento após conclusão dos feitos. 

"A fama de mal pagador corre, mas a de bom pagador também corre. A fama de pagar propina para fazer medição acabou. Aqui nós trabalhamos com seriedade e pelo povo de Mato Grosso. O dinheiro do povo é sagrado e precisa ser bem investido", comentou o governador. 

Lions da Visão

A fala de Mauro aconteceu durante a assinatura de contrato para a conclusão das obras do novo Hospital Lions da Visão em Cuiabá, nas proximidades do Hospital do Câncer, em Cuiabá.

A assinatura ocorreu junto do secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, e do presidente do Instituto Lions, Whady Lacerda. Também estiveram presentes o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho; os deputados estaduais Paulo Araújo e Dr. Eugênio; e o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, assim como os membros do Lions.

O Estado está repassando R$ 1,2 milhão para o instituto concluir as obras da unidade, que é o maior hospital filantrópico oftalmológico da América Latina. As obras devem ser concluídas em 2021.

"Essa obra foi iniciada há 10 anos atrás e, lamentavelmente, deixou de ser concluída. O pedido foi apresentado no ano passado e, nesse ano, após fazermos a recuperação fiscal do estado, estamos conseguindo executar, dentro desse programa de melhorar a Saúde Pública em todo o estado. Essa instituição vai atender milhares e milhares de pessoas, cobrando pelo SUS, ou seja, vai ser um atendimento gratuito e vai minimizar de forma muito eficiente a dor e sofrimento de tantas pessoas”, afirmou o governador.

O governador ainda ressaltou que está articulando com a Assembleia Legislativa para levantar mais recursos para estruturar o hospital, que atende gratuitamente a população carente com serviços de consultas oftalmológicas, exames e até mesmo cirurgias.

“Estamos dando mais esse passo na área da Saúde. E para caprichar ainda mais nessa estrutura, no acabamento, na finalização, para que tenhamos aqui o maior e melhor hospital dessa área. Pode contar conosco, com o deputado Paulo Araújo, Dr. Eugênio, Eduardo Botelho. Vamos organizar esse aporte. Não é porque é público que deve ter uma qualidade inferior”, adiantou.

Conforme o presidente do Lions, a retomada das obras foi prometida nas duas últimas gestões, mas nunca havia saído do papel.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem