Perícia detecta inibidor de apetite em adolescente encontrada morta em estado de decomposição




Laudo elaborado pela Gerência de Perícias em Toxicologia Forense da Politec detectou a presença de um medicamento de uso restrito no Brasil utilizado como inibidor de apetite, no corpo da adolescente Dienifer Eliane dos Santos do Nascimento, de 16 anos, encontrada em estado de decomposição, em uma casa no Bairro Jardim Progresso, em Primavera do Leste (239 km de Cuiabá), no dia 07 de julho deste ano. A causa da morte ainda é desconhecida.

A substância Mefenorex tem ação parecida com anfetaminas, e foi identificada por meio do equipamento Cromatógrafo Gasoso Associado à Espectrômetro de Massas. Durante a necropsia, a Gerência de Medicina Legal de Primavera do Leste coletou amostras de sangue, fígado e estômago e fragmentos de pulmão para pesquisa toxicológica no Laboratório Forense da Politec.


Mediante o recebimento do laudo toxicológico, a Gerência de Medicina Legal de Primavera do Leste aguarda, ainda o resultado do exame de histopatologia forense para verificar se havia alguma doença preexistente, cujos resultados poderão contribuir para o esclarecimento da causa da morte.

Contudo, segundo o IML, análises mais detalhadas foram prejudicadas devido ao avançado estado de decomposição do corpo.

“Não sabemos se havia a presença de outras substâncias que poderiam interagir com esse medicamento a ponto de provocar alguma reação adversa mais contundente, haja vista que o material estava bastante decomposto. E não sabemos se a vítima poderia ter uma hipersensibilidade ao fármaco’’, afirmou o perito oficial criminal Paulo Sérgio Vasconcelos de Oliveira.

Após serem concluídos, os laudos periciais são encaminhados ao delegado da Delegacia de Primavera do Leste, Pablo Borges Rigo, que conduz a investigação criminal.

O caso

O corpo da adolescente Dienifer Eliane dos Santos do Nascimento, de 16 anos, foi encontrado em estado de decomposição em uma casa no Bairro Jardim Progresso, em Primavera do Leste. 

Conforme o delegado regional da cidade, Carlos Roberto Moreira, somente após os trabalhos da perícia será possível afirmar qual foi a causa da morte já que no local não havia sinais de violência.

Um morador contou que desde o final de semana estaria sentido um forte odor vindo de uma casa. Ele decidiu subir no muro e encontrou o corpo da adolescente em avançado estado de decomposição. 


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem