Jayme diz que adversário tirou Selma com artifício não republicano e tem ‘saco de dinheiro’ para comprar prefeitos


O senador Jayme Campos (DEM) fez um discurso acalorado na noite da última quinta-feira (6), em reunião política de apoio ao candidato ao Senado Nilson Leitão (PSDB). Em referência clara ao senador interino e candidato à reeleição Carlos Fávaro (PSD), mas sem citar nomes, Jayme disse que ele seria uma ‘marionete’, que ‘não tem boa índole’ e que está ‘com saco de dinheiro para comprar prefeitos’.


“Eu fico admirado... [ele] tem a cara de pau de dizer que ele conseguiu 1 bilhão e 400 milhões. Isso é o maior estelionato que tem, esse cidadão tem a cara de pau, não tem vergonha. Esse candidato é aquele candidato que lamentavelmente usou de artifícios que não honram a ética republicana para cassar a senadora Selma Arruda. Esse mesmo cidadão está com um saco de dinheiro tentando comprar prefeito, vereador e o cidadão mato-grossenses. (...) Esse dinheiro não tem boa índole, com certeza é dinheiro desviado, talvez do cidadão que paga impostos”, disparou Jayme.

A fala ainda trouxe outras acusações. O senador afirmou que naquela reunião, ao contrário das outras, não havia ‘pressão para trazer funcionário público’. “Aqui não tem pressão do poder público estadual, e muito menos municipal. Aqui foi o povo que de fato”, disse. A insinuação de Jayme era, ainda, a Fávaro, já que o senador interino tem apoio do governador Mauro Mendes (DEM) na eleição ao Senado “Eu sou presidente do Conselho de Ética, não sou marionete de ninguém, e o Nilson não será com certeza marionete de quem quer que seja. Será senador do povo de Mato Grosso”, completou Campos.

Confiante, Jayme disse ainda que nunca perdeu uma eleição, e falou que a aliança vai “papar” o pleito ao Senado. “Pode acreditar, vamos papar”, afirmou. O encontro juntou mais de mil pessoas no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá, e contou com a presença de autoridades como o senador Wellington Fagundes (PL).

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem