Levantamento aponta que negros foram os que mais morreram por Covid-19 em Cuiabá; veja dados


 

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá divulgou um Informe Epidemiológico sobre a Covid-19m realizado com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso, com dados sobre o monitoramento do padrão de morbidade e mortalidade da doença, e descreveu as características clínicas e epidemiológicas dos casos em Cuiabá. Neste informe foram apresentadas as informações desde a data da notificação do primeiro caso em Cuiabá até a 45ª Semana Epidemiológica, compreendendo o período de 14 de março a 07 de novembro de 2020.

 
De acordo com o documento, até o dia 7 de novembro foram registrados 30.811 casos de Covid-19 e 1.047 mortes pela doença. Cerca de 31% dos casos, 60% dos indivíduos internados e 75% dos óbitos foram de pacientes com comorbidades.
 
O informe considerou que o risco de infecção é maior em pessoas negras (pretos e pardos). Dos óbitos, 71,3% foram pessoas negras (parda = 64,7% e preta = 12,6%), seguido de branca (21,3%).
 
Também foi apontada a tendência crescente do risco de morte com aumento da idade e um risco cerca de duas vezes maior para o sexo masculino comparado ao feminino, exceto para o grupo de 20 a 29 anos.

Entre os casos confirmados de Covid-19 residentes em Cuiabá prevalece o sexo feminino (54,3%), tendo, desde o início da pandemia apresentado a maior frequência. No entanto, entre os 1.047 óbitos pela doença, 55,7% eram do sexo masculino, resultando em letalidade de 4,1% para sexo masculino e 2,8% para sexo feminino.
 
A idade média dos pacientes é 41,7 anos sendo 20% dos casos registrados entre adultos de 30 e 39 anos, e o grupo de 20 a 49 anos concentrou 62,9% dos casos. Idosos representaram 15,0% (4.623) dos casos, enquanto crianças e adolescentes (0 a 19 anos) 6,1% do total de casos.
 
De acordo com o Informe, dos pacientes que ocupavam leitos de UTI no dia 7 de novembro, 43,9% (43) não residiam na capital e entre os que estavam internados em enfermaria/isolamento (92), 35,9% eram residentes em outros municípios. Houve redução na ocupação de leitos de UTI por não residentes na capital.
 
Aproximadamente 12% dos casos de Covid-19 de residentes em Cuiabá foram assintomáticos (3.701). Um total de 998 (95,3%) de óbitos foram considerados sintomáticos.
 
“Entre os sintomáticos (27.111), os principais sintomas relatados foram tosse (14.352;52,9%), febre (12.201;45,0%), cefaléia/dor de cabeça (11.338;41,8%), dor de garganta (9.181;33,9%), perda do paladar (7.834; 28,9%), perda do olfato (7.736; 28,5%), desconforto respiratório (6.661;24,6%), diarréia (5.848;21,6%), dispnéia (5.201;19,2%), mialgia (4.179; 15,4%), coriza (4.172;15,4%), dor no corpo (3.186;11,8%), calafrio (2.242;8,3%) e vômito (1.835;6,8%). Entre aqueles que relataram tosse cerca de 59% também referiram febre e 46% também informaram dor de garganta. Perda de paladar e de olfato conjuntamente foi referido por 23,6% dos sintomáticos; e entre aqueles com perda de paladar 81,6% também referiram perda de olfato”, diz trecho do documento.
 
Entre os indivíduos que foram a óbito, 74,8% apresentavam comorbidades. Entre os que se conheciam a comorbidade (783), as mais frequentes foram: hipertensão (550; 70,2%), diabetes (407; 52,0%), doença cardíaca (201; 25,7%), doença renal (73; 9,3%), obesidade (85; 10,9%), doença pulmonar (58; 7,4%) e neoplasia (27; 3,5%).
 
Veja o Informe Epidemiológico completo pelo link.


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem