Mauro Mendes afirma que declaração de Emanuel é desprezível e promete processar prefeito




O governador Mauro Mendes (DEM) classificou como "desprezível" a declaração feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) em evento de campanha nesta quinta-feira (5) e assegurou que irá processar o prefeito. A fala do emedebista que causou revolta no democrata foi sobre um suposto envolvimento do governador com traficantes. A acusação feita por por Emanuel foi em resposta à fala de Mauro Mendes que acusou o prefeito de usar dinheiro público na campanha de reeleição em Cuiabá e na disputa de Emanuelzinho (PTB) em Várzea Grande. Emanuel também processou Mauro por essa fala

“Isso é lamentável, é muito lamentável termos um prefeito do nível e da qualidade que nós temos. Eu espero que a população compreenda isso, porque isso é tão desprezível que não merece nem comentário. Eu não ouvi isso, mas se ele falou, vou checar e certamente ele será processado”, afirmou o governador nesta sexta-feira (6).


A declaração do prefeito aconteceu em resposta a Mauro, que no início da semana acusou Emanuel Pinheiro de estar usando dinheiro público que deveria estar sendo destinado a saúde, na sua campanha e na do seu filho, o deputado federal Emanuelzinho (PTB), que é candidato à prefeitura de Várzea Grande.

“Me parece que está envolvido com traficantes. É uma situação deplorável. Ele devia estar governando o Estado e fazer um governo agregador, não se mover pelo ódio. Ele está movido pelo ódio, pela perseguição e por tudo aquilo que não cabe em um estadista”, disse o prefeito, em entrevista ao Olhar Direto.

A declaração do prefeito fez referência a uma reportagem publicada pela Agência Pública, que citou o nome de Mauro Mendes como aliado do ex-prefeito de Brasnorte, Eudes Tarcísio, que tinha relações próximas com Luiz Carlos da Rocha, vulgo ‘Cabeça Branca’, considerado um dos maiores traficantes da América do Sul, que foi preso na cidade de Sorriso em 2017.

As desavenças entre o prefeito e o governador, inclusive já saíram do campo das acusações e partiu para os tribunais. Nesta sexta-feira, Pinheiro acionou Mendes, em representação eleitoral que pede a retirada de reportagem produzida pelo Olhar Direto sobre suposto uso de dinheiro público em campanha.

Além da liminar para retirada da matéria, há pedido para aplicação de multa no valor de até R$ 30 mil.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem