Mesário é detido por mostrar arma de fogo a eleitor após desentendimento




Um mesário, que trabalha como policial penal, foi encaminhado para o “cadeião” do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) após um desentendimento com um eleitor na Escola Estadual Alina do Nascimento Tocantins, no Bairro Cidade Alta, em Cuiabá. O suspeito, que autorização para portar arma de fogo, levou o armamento à sessão eleitoral e o teria mostrado ao eleitor. Ele foi desligado da função de mesário. 


Em entrevista à imprensa o juiz titular da 1ª Zona Eleitoral, Geraldo Fernandes Fidelis Neto, deu mais informações sobre a ocorrência. Segundo ele, o policial penal não deveria ter sido convocado para atuar como mesário.

“Teve uma situação delicada, de um mesário que é agente penitenciário, não devia ter sido convocado, mas foi, e ele usa arma de fogo, tem essa prerrogativa, e lamentavelmente levou à sessão, e lá é um lugar que não pode haver qualquer tipo de constrangimento, é um lugar de liberdades democráticas”, disse.

Segundo o magistrado, um eleitor ligou indignado para denunciar o policial penal. O homem disse que foi acompanhar seu pai em sua sessão eleitoral e houve um desentendimento com o mesário, que teria mostrado sua arma de fogo.

A Justiça Eleitoral identificou o mesário, que acabou sendo encaminhado ao cadeião, que está funcionando nas dependências da Casa da Democracia, com auxílio da Polícia Militar, para prestar esclarecimentos. Ele foi desligado da função de mesário.


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem