Após polêmica no Parque das Águas, secretário diz que Prefeitura está preparada para cobrar medidas




O secretário de Ordem Pública de Cuiabá, coronel Leovaldo Salles, apelou para o bom senso da população novamente para que respeitem as medidas de biossegurança e evitem aglomerações, principalmente neste fim de ano. Questionado sobre a festa realizada na noite de sábado (19), no Parque das Águas, que causou polêmica pelo número de pessoas juntas e sem máscaras, ele disse que a prefeitura – responsável por autorizar o evento – está preparada para fazer com que as pessoas não se esqueçam de medidas.


A festa, organizada pela Aram Produções, trouxe o DJ Vintage Culture, além de outros como Luciano Lyllo, Thalisson, Douglas Mariusso e Fábio Serra. O ingresso custava R$ 300, mas também era obrigatória a doação de um quilo de alimento não perecível, que seria doado para a campanha “Natal Sem Fome”, organizada pela primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, e pela Secretaria Municipal de Assistência Social. A iniciativa de doação dos alimentos foi dos organizadores do evento.

Questionado sobre a polêmica, o secretário disse que a secretaria está preparada para fazer com que as pessoas não esqueçam que as medidas de biossegurança não foram revogadas em momento algum. “Estamos trabalhando para que todos mantenham a consciência, para que entendam os riscos que todos corremos”.

“O cuidado com a saúde, deve ser primeiro uma responsabilidade social. Se as pessoas não têm isto, corremos um risco. Se alguém vai a um evento, sabe que vai ter aglomeração, não usa máscara, não faz higienização, que é uma orientação mundial. Se ela se contaminasse sozinha, seria problema dela. Mas não é isso que acontece, porque contagia as pessoas na sua casa, seus amigos, entre outros”, acrescentou o secretário.

Questionado se a Capital poderia voltar a ter um toque de recolher a partir de meia noite ou ainda mais cedo, o secretário desconversou. “O prefeito nunca deixou de tomar suas decisões corajosas baseadas em uma prioridade: proteção à saúde de todos cuiabanos. Penso que ele vai continuar adotando este princípio. Qualquer decisão tem este foco”.

“Temos oferecido ao prefeito todas informações técnicas no sentido dele ter condições de decidir toda e qualquer medida. O prefeito é quem decide sobre flexibilização ou endurecimento das medidas”, finalizou.

A festa foi autorizada pela Prefeitura de Cuiabá. No entanto, o evento deveria ter somente 300 pessoas e acontecer das 17h às 23h, respeitando as normas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo nota enviada pela Prefeitura, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano e Sustentável, juntamente com a Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb), responsável por administrar o Parque das Águas, emitiram autorização para a realização de evento no último sábado (19) no local.

“Entretanto, o documento liberava a participação de apenas 300 pessoas, das 17h às 23h, com comprometimento registrado de que a empresa seguiria as normas de biossegurança em razão da pandemia do novo Coronavírus, como uso de máscara, distanciamento de 1,5m e disponibilização de álcool 70% ao público”, explica a nota.

Nos vídeos compartilhados pelo próprio público, é possível ver que o distanciamento social não foi respeitado, assim como o uso de máscaras. O evento poderia acontecer, com base no decreto 8.204, de 19 de novembro de 2020, que autoriza a realização de eventos, respeitando o limite de 70% da capacidade total do ambiente.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, o município vai apurar as denúncias sobre aglomeração para tomar as devidas providências.

Um dos organizadores da festa, Igor Noda, se manifestou à respeito das denúncias: “Nós fizemos tudo que estava ao nosso alcance. Só podia entrar com máscara, mas infelizmente as pessoas tiram. La o espaço era grande, o evento trabalhou com menos de 50% da sua capacidade... havia em todas mesas álcool em gel”.


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem