Consumidores devem priorizar comércio local para fazer compras de Natal



Os consumidores que forem fazer compras de Natal neste ano devem priorizar o comércio local ao invés de compras online, aponta dados do Instituto de Pesquisa e Análise Fecomércio de Mato Grosso (IPF-MT). A prioridade dada é efeito da pandemia do novo coronavírus, visto que as pessoas estão optando por fomentar e ajudar a crescer comércios de bairro. A previsão é que pelo menos metade dos mato-grossenses tenham gastos com a data festiva.


“[As pessoas têm] consciência de ajudar a valorizar o comércio e economia local. Há muitos consumidores que entendem que comprando em loja local, ele está gerando empregos e tributos, ajudando na economia. Essa consciência, na minha opinião, é algo novo. É numa consciência que surgiu durante a pandemia”, explica o economista Maurício Munhoz Ferraz ao Olhar Agro e Negócios.

A porcentagem equivalente ao número de pessoas que pretendem comprar no Natal é de 54%. Deste montante, 65% vão fazer compras de até R$ 1 mil, enquanto apenas 8% pretendem gastar entre R$ 1 mil a R$ 5 mil. Dentre os entrevistados que afirmaram que vão gastar mais de R$ 1 mil, 72% disseram que se não fosse pela pandemia do novo coronavírus o valor seria maior.

Em relação aos que irão fazer compras, 47% visam adquirir produtos em lojas locais. Os entrevistados também afirmaram que 30% das compras serão por e-commerce, 11% em estabelecimentos informais, enquanto 10% farão compras durante as viagens. A porcentagem total supera 100% porque as pessoas entrevistadas puderam responder mais de uma opção.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem