Defesa de Cestari anexa foto de namorado de adolescente com armas ao processo e pede acesso a celular




A defesa de Marcelo Cestari, pai da adolescente que matou Isabele Guimarães em julho deste ano, em uma casa no Alphaville, anexou ao processo uma foto do namorado da garota com armas. A arma usada no crime foi, inclusive, levada por ele para a casa da namorada, e estava registrada no nome do pai dele.

Inicialmente, o adolescente e o pai dele indiciados por omissão de cautela na guarda de arma de fogo e por ato infracional análogo ao porte ilegal de arma de fogo. Agora, a defesa de Cestari quer que o pai do adolescente forneça imagens do circuito interno de segurança da casa deles, referente ao dia em que Isabele foi morta, e também a liberação do histórico de ligações via WhatsApp do adolescente com os pais dele na data do crime. As informações foram divulgadas pelo G1 neste sábado (5).

Segundo o advogado Arthur Osti, defesa de Cestari, ele pediu a anexação ao processo na sexta-feira (4), mas solicitou que entrasse em segredo de justiça para não expor o adolescente. No processo, é possível ver que às 15h40 de sexta-feira houve “Juntada de Petição de manifestação”.

O caso


Isabele Guimarães, de 14 anos, foi morta no último dia 12 de julho, em Cuiabá, dentro de uma casa no condomínio Alphaville. O tiro foi efetuado por sua amiga, da mesma idade, com uma arma que o namorado da amiga havia levado à sua casa. Os pais da adolescente que atirou são réus por homicídio culposo, entrega de arma de fogo a pessoa menor, fraude processual e corrupção de menores.

OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem