Futuro secretário de Trânsito em Sinop diz que contrato de radares não será renovado



O futuro secretário de Trânsito e Transporte Urbano e Major da Polícia Militar, Joubert Sacramento confirmou, em entrevista, ao Só Notícias, que a gestão planeja não renovar o contrato de locação dos equipamentos de fiscalização eletrônica, que vence em maio de 2021. O vínculo foi assinado em 2019, com valor de investimento superior a R$ 8,7 milhões.

Além do excesso de velocidade, os equipamentos também aplicam multas em caso de avanço de semáforos e parada sobre a faixa de pedestre, em alguns cruzamentos. “Esse é o planejamento porque quebra de contrato existe situações legais que geram custo para o município, então seria mais fácil finalizar o contrato e não renovar mais”, adiantou Sacramento,

Os equipamentos que registram excesso de velocidade -e expedem multas-  estão instalados André Maggi (na lateral do cemitério), Ingás (próximo à rua dos Cajueiros), Alexandre Ferronato (próximo ao Grande Templo), Figueiras (próximo à ponte no Jardim Delta), Bruno Martini (ao lado na Unemat) Joaquim Socreppa (proximidades da avenida das Sibipirunas), Tarumãs, Júlio Campos, rua das Orquídeas próximo a Escola Municipal Sadão Watanabe e na rua das Avencas próximo a rua Juçaras.

Ainda segundo o secretário, os radares serão substituídos por lombadas e semáforos, além de ser realizado trabalho de orientação aos condutores para diminuir o número de acidentes.

“Essa é uma promessa do prefeito (eleito, Roberto Dorner) e vamos cumpri-la. Chegando na secretaria já vamos estudar uma maneira de não renovar os contratos, então pode ter certeza que nós vamos cumprir. Nós estamos alinhados com ele e vamos trabalhar dessa forma em conjunto”, completou.

As penalidades para quem for flagrado pelos equipamentos variam de acordo com a gravidade da falta. Se o motorista ultrapassar até 20% da velocidade permitida é considerada infração média com multa e perda de 4 pontos na carteira. Ultrapassar de 20% a 50% a velocidade máxima permitida é falta grave, com multa e perda de 5 pontos na carteira. O motorista que ultrapassar mais de 50% da velocidade permitida irá ter a carteira de habilitação suspensa imediatamente e, também, receberá multa.

Conforme Só Notícias já informou, de acordo com a secretaria de Trânsito, foram registradas cerca de 80 mil multas nos equipamentos de janeiro até agora. Na projeção, são em média 6,6 mil multas por mês. Considerando valor mínimo de multa, que é de R$130, e a quantidade já aplicadas, foram cerca de R$ 10,4 milhões este ano. Em uma média são R$ 866,6 mil em multas a cada mês, e R$ 28,8 mil por dia.  Os condutores ainda podem recorrer das infrações aplicadas.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo)
Postagem Anterior Próxima Postagem