REEMBOLSO: Governo irá acionar empresas na Justiça para devolver vagões e cobrar R$ 676 mi de indenização



O governador Mauro Mendes anunciou que o Estado irá propor uma ação contra o Consórcio VLT e as empresas que o integram, buscando a condenação delas ao pagamento de indenização R$ 676.810.339,31. Além disso, Mauro disse que na mesma ação será requerida a devolução dos vagões, trilhos e demais materiais adquiridos e não utilizados, às empresas, para que o Estado seja ressarcido. 

Em coletiva na tarde desta segunda-feira (21) o governador anunciou fim do sonho da implantação do Veículo Leve sob Trilhos (VLT) em Cuiabá e já deu detalhes do novo modal que pretende instalar no lugar: o Bus Rapid Transit (BRT). Ao todo, o projeto foi orçado em R$ 430 milhões. Além disso, o custo estimado da tarifa é de R$ 3,04.

Mauro ainda afirmou que o Estado irá propor uma ação na Justiça contra as empresas buscando indenização dos danos causados a Mato Grosso, avaliados em R$ 676.810.339,31, além de pedido liminar para obrigá-las a retirar os trens, mediante oferecimento de garantia pelas empresas.


O governador reforçou que não só os vagões deverão ser devolvidos, mas também os trilhos e demais materiais adquiridos que não foram nem serão utilizados para as obras, para que o Estado seja ressarcido. Ele também afirmou que a implementação do BRT não dependerá da solução jurídica, que ele diz saber que pode demorar anos para ser concluída. Porém, Mauro afirmou que o Estado “em algum momento vai receber os valores devidos”.


OLHAR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem