Favorito do grupo de Mendes, Mauro Carvalho é cotado para ser conselheiro do TCE ou disputar cadeira na AL



Além da aposentadoria do conselheiro afastado Valdir Teis, que está sob análise da presidência do Tribunal de Contas do Estado, há conversas de bastidor de que o também conselheiro afastado José Carlos Novelli pode acompanhar o colega e pedir para ficar fora do quadro do TCE. Com isso, uma nova vaga se abriria em 2021 na Corte de Contas, deflagrando uma nova disputa de bastidores. 


Como Novelli, que assumiu em 2001 sob indicação do governador Dante de Oliveira, a vaga deverá ser preenchida por um nome apontado por Mauro Mendes (DEM). No meio político e segundo fontes ligadas ao governador, o mais cotado seria o compadre de Mendes, o atual secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho. O governador, em um jantar de família, já teria inclusive questionado se era do interesse do compadre Carvalho assumir a cadeira, caso abrisse a vaga. 

A segunda opção de Mendes seria o atual secretário de Fazenda, Rogério Gallo (DEM). Gallo tem extrema confiança do governador e seria cotado para assumir caso Carvalho dispensasse a vaga. 

No entanto, o grupo de Mendes quer dar um cargo político com mandato para Carvalho, que além de ligado a família, também é de confiança de governador e ganhou força dentro do Palácio Paiaguás.

Carvalho, ao conseguir ser o porta voz do governo e manter as conversas com deputados e sindicalistas conforme o manual Mauro Mendes, mostrou envergadura para conseguir desvencilhar de polêmicas e andar na linha com assuntos considerados espinhosos. Por isso, o grupo pode lançá-lo como um dos candidatos a deputado estadual do partido Democratas.

Questionado sobre o assunto, Mauro Carvalho sorriu, tragou a fumaça do cigarro e disse que não teria nenhuma vontade de disputar uma eleição. "Mauro Carvalho em 2021 continua na Casa Civil. Não sou candidato a deputado e a lugar nenhum. Não tenho ambição de disputar nada. Se eu sair da Casa Civil, volto para minhas empresas. Eu não estaria dentro do governo se eu não estivesse gostando do que eu estou fazendo, eu estaria fora", comentou Carvalho. 

A reportagem também perguntou se teve parte difícil em trabalhar ao lado do governador, num cargo que até 2019 era considerado novo para ele. "Nós temos que avaliar que em 2020 o governo aprovou 100% dos projetos encaminhados à Assembleia. Existe um debate democrático para tudo, mas fazer um esforço para que a sociedade sempre vença. Não tem parte difícil. Tem política", ponderou. 

Por último, o secretário também foi perguntado sobre um ato de corrupção flagrado pelo Ministério Público, em que um membro da própria Casa Civil foi flagrado com dinheiro de propina que seria para pagar a quem lhe garantisse obras no estado. O servidor do Palácio chegou a ser preso, mas pagou fiança e saiu. 

Mauro respondeu que só vai comentar após andamento do processo. "Esse caso de corrupção ainda não tem nada comprovado. Primeiro vamos aguardar as investigações para poder comentar", encerrou o secretário.

OLAHR DIRETO
Postagem Anterior Próxima Postagem